Mesmo focando em carros elétricos, Volkswagen afirma que carros “dirigidos por robôs” serão o futuro da indústria automotiva

Valdemar Medeiros
por
-
27-06-2021 11:04:12
em Logística e Transporte
Carros elétricos - robôs -Volkswagen Carros robôs – créditos QuatroRodas

De acordo com o CEO da Volkswagen, os carros que são controlados por “robôs” podem desenvolver e revolucionar mais o setor automotivo do que os carros elétricos.

Apesar da Volkswagen estar focada, principalmente em produzir carros elétricos, o CEO da montadora alemã afirma que carros autônomos estão se tonando o campo que mais poderá desenvolver o setor de automóveis. Segundo Herbert Diess, os carros se tornarão diferentes por conta do aumento de recursos de condução por “robôs”, muito mais do que teriam se tornado apenas migrando para o setor elétrico.

Leia também

A Volkswagen se renova e mantém com foco nos carros elétricos

A Volkswagen está se reorganizando estruturalmente para ter uma maior produção de carros elétricos com o objetivo de se transformar em uma empresa exclusiva de veículos elétricos até a chegada da próxima década.

Para que isso seja possível a empresa está investindo fortemente em várias fábricas de baterias por todo o mundo com o objetivo de fornecer baterias para os seus próximos carros elétricos. A empresa pretende vender cerca de 1 milhão de elétricos somente este ano e se tornar a líder global até 2025.

Palavras de Hebert Diess, CEO da Volkswagen

Apesar desses serem os objetivos da VW, Diess tem razão quando afirma que a condução por “robôs” irá mudar o setor automotivo muito mais que a eletrificação. Bancos giratórios e interiores muito pouco convencionais e, as vezes, nem mesmo janelas são alguns dos exemplos das principais formas que os carros do futuro poderão mudar quanto mais autônomos forem.

Também pode ser que a condução por “robôs” não tenha evoluído de forma tão rápida quanto o pretendido se for levado em consideração a quantidade de capital que está sendo gasto para que ela seja desenvolvida. Atualmente existem diversas empresas dispostas a aperfeiçoar a direção automatizada, e não são apenas empresas do setor automotivo.

De acordo com a consultoria Alix Partners, até o fim da década, o custo da tecnologia de direção autônoma cairá pelo menos 60%. Atualmente a Volkswagen está investindo cerca de US$ 3 bilhões por ano em software, apesar de que nem todo o dinheiro seja reservado para a direção autônoma. Diess afirma que a empresa está em uma ótima posição para ser um competidor muito forte futuramente.

Tecnologia autônoma da Volkswagen

A Volkswagen criou um robô que é utilizado no desenvolvimento do ACC (Controle de Cruzeiro Adaptativo) e do AEB (Frenagem Autônoma de Emergência) para o novo modelo VW Taos. O ACC Funciona como um distanciador de veículos, ou seja, quando ele detecta um carro por perto, tem a capacidade de frear e acelerar sozinho. Já o AEB se trata de detecção de pedestres, onde o carro pode frear emergencialmente também de forma autônoma.

Quando a tecnologia detecta uma pessoa e há a possibilidade de atropelamento, o sistema dispara um aviso visual e sonoro na cabine e caso não haja reação do motorista, o carro freia sozinho.  

Tags:
Valdemar Medeiros
Formado em Segurança do trabalho, especialista em marketing de conteúdo em conjunto de ações de SEO e Universitário de Publicidade e Propaganda.