Investimentos – Rede de distribuição de energia da ENEL recebe R$ 12 milhões em tecnologias para melhorias no desempenho

Roberta Souza
por
-
11-05-2020 11:23:41
em Economia, Negócios e Política
energia elétrica, enel, vagas de emprego, rio de janeiro energia, enel, investimentos

A Enel Distribuição São Paulo investe R$ 12 milhões em tecnologias

Investimentos no setor elétrico da ENEL a todo vapor. A empresa, com o objetivo de melhorar a rede de alta tensão, investiu cerca de R$ 12 milhões em tecnologias para aumentar a performance no desempenho de distribuição de energia.

Veja ainda outras notícias:

Confira as iniciativas:

  • Mapeamento digital das torres de transmissão;
  • Monitoramento online das subestações e transformadores;
  • Uso de drones para inspeção;
  • Instalação de 240 sensores em 26 transformadores, que informam alterações no funcionamento dos equipamentos;

Como resultado, a Enel conseguiu reduzir, entre os meses de março de 2019 e março de 2020, mais de 60% o número total de ocorrências na alta tensão. Na prática, a redução também diminuiu significativamente o impacto do fornecimento de energia aos consumidores.

Com o uso do mapeamento digital, a empresa monitora mais de 6.200 torres de subtransmissão, controlando o crescimento da vegetação no entorno e identifica possíveis defeitos. Com a tecnologia, a empresa planeja manutenções, facilitando o trabalho e evitando intercorrências. Há ainda o trabalho de drones e helicópteros, duas vezes ao ano, a fim de atualizar imagens dos locais.

A empresa também investiu em uma estrutura que trabalha na coordenação das lógicas de proteção e, por meio de um laboratório, simula eventuais problemas e desenvolve soluções de restabelecimento automático digital.

De acordo com Marcelo Puertas, responsável por alta tensão da Enel, “no início deste ano, nossa área de concessão foi impactada com fortes chuvas. Por meio desse monitoramento, pudemos acompanhar se alguma subestação estava alagada e se o nível da água comprometeria ou não os equipamentos”.

“Todas essas tecnologias nos ajudam a realizar manutenções preditivas e, não mais, preventivas. Ou seja, estamos evitando a ocorrência de interferências no fornecimento de energia para nossos consumidores, lembrando que uma subestação é capaz de abastecer, em média, 200 mil clientes”.

Já segundo Rosário Zaccaria, responsável pela infraestrutura e redes da Enel, “as tecnologias testadas no projeto e que apresentarem resultados positivos serão, progressivamente, expandidas para toda a nossa área de concessão. Em alta tensão, já estamos com elas em funcionamento”.

Tags:
Roberta Souza
Engenheira de Petróleo, pós-graduanda em Comissionamento de Unidades Industriais, especialista em Corrosão Industrial. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal. Não recebemos currículos
fwefwefwefwefwe