Indústria naval: Brasil compra por 30 milhões de euros quatro canhões para fragatas Classe Tamandaré da Marinha que serão construídas em Itajaí

Flavia Marinho
por
-
24-09-2020 11:33:28
em Indústria Naval, Portos e Estaleiros
canhão naval para as fragatas marinha do brasil em Itajaí Marinha do Brasil escolhe quatro unidades do canhão naval 76 mm para equipar as fragatas Classe Tamandaré que serão construídas em Itajaí, SC

Marinha do Brasil escolhe quatro unidades do canhão naval 76 mm para equipar as fragatas Classe Tamandaré que serão construídas em Itajaí, SC

Para armar suas novas fragatas Classe Tamandaré que serão construídas em Itajaí, a Marinha do Brasil escolheu o canhão naval 76/62 da Leonardo. Devido ao Covid-19, a empresa italiana e a Thyssenkrupp, negociaram em longas videoconferências, um contrato que ultrapassa o valor de 30 milhões de euros, para a aquisição de quatro armas com opção de fornecer mais duas unidades, podendo garantir futuramente mais duas fragatas ao Consócio Águas Azuis.

Leia também

O canhão naval 76/62 da Leonardo é reconhecido mundialmente pela sua elevada capacidade de fogo e precisão no disparo, conseguindo colocar múltiplos impactos em pontos específicos do alvo em poucos segundos de engajamento.

No entanto, e apesar disso, justamente quando do anúncio do 76/62 para o Brasil surgiu um rumor de bastidores, a possibilidade do canhão naval 76/62 escolhido pelo Brasil estaria inegavelmente atrelada a questão custo.

Permitindo diversos questionamentos sobre o assunto como: poderia o canhão naval Leonardo 76/62 sem refrigeração líquida manter o mesmo alto volume de disparos precisos que tornaram esta arma uma necessidade para mais de 50 Instituições Navais na sua versão refrigerada por água salgada? Em termos de tubo da arma, a refrigeração a ar diminui o seu tempo de vida útil.

Os navios brasileiros manterão a capacidade de executar uma alta cadência de fogo em combate, ou no pior cenário, a arma poderia superaquecer e travar justamente em meio a uma longa troca de tiros? O sistema de refrigeração a ar, caso exista realmente, apresenta performance similar ou próxima ao modelo com refrigeração líquida?

Sobre o canhão naval 76/62 da Leonardo

A arma de bordo de 76 mm é uma de dois calibres médios para canhões navais disponíveis com capacidade de sustentação de fogo, que é um requisito fundamental em qualquer cenário com envolvimento simultâneo de múltiplos alvos de manobra, fato comum em cenários de guerra assimétrica.

O canhão 76/62, sem munição, pesa em torno de oito toneladas, 80 munições prontas para uso ficam acondicionadas no seu anel carregador. O alcanve vai de 16 km com muniçõ standard até 40 km com munição assistida guiada inteligente Volcano na versão Strales.

A configuração compacta do canhão naval 76/62 e seus acessórios (com baixo peso do conjunto sem a munição) permitiu agregar grande poder de fogo a plataformas modestas em termos de tonelagem, algo que garantiu a essa arma um grande sucesso de mercado em praticamente cinco continentes.

Tags:
Flavia Marinho
Engenheira de Produção pós graduada em Engenharia Elétrica e Automação. Experiente na indústria de construção naval onshore e offshore. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal.