Fabricante chinesa de automóveis estuda comprar fábrica da Mercedes-Benz e Ford no Brasil

Roberta Souza
por
-
21-06-2021 17:56:56
em Economia, Negócios e Política
Fábrica – automóveis – Ford Great Wall negocia com Mercedes e Ford compra de fábrica no Brasil Fábrica da Mercedes-Benz em Iracemápolis/ Fonte: Automotive Bussiness

A Great Wall estuda comprar a fábrica da Ford e Mercedes para ter opções de produção enquanto se prepara para vender seus automóveis no Brasil

Considerada uma das maiores montadoras de automóveis da China, a Great Wall apresenta interesse em comprar a fábrica de automóveis da Mercedes-Benz e da Ford no Brasil. De acordo com a agência de notícias Reuters, a marca planeja expandir atuação para mercados além da Ásia e enxerga boas oportunidades na América do Sul. Veja ainda: Nova fábrica de produtos lácteos será construída no estado do Ceará. R$ 50 milhões serão investidos e novos empregos serão gerados

Os planos da montadora chinesa de automóveis para comprar fábrica no Brasil

A empresa planeja construir uma nova fábrica ou comprar uma das duas que foram desativadas este ano, a planta da Ford em Camaçari (BA) ou a da Mercedes-Benz em Iracemápolis (SP). Fontes familiarizadas com as negociações da empresa confirmaram que as conversas estão de fato acontecendo, mas ainda em estágio preliminar. A Great Wall ainda não definiu qual estratégia de fabricação local adotará no Brasil, mas as vendas de veículos importados da China estão previstas para começar no início de 2022.

Na sexta-feira, a agência Bloomberg noticiou que a Great Wall mantém conversas com o grupo Daimler (dono da Mercedes) sobre a possível aquisição da fábrica de Iracemápolis fechada em dezembro passado, onde a fabricante disse ter investido R$ 600 milhões. Um porta-voz da empresa alemã declarou à Bloomberg que a companhia continua a explorar diferentes opções para a planta, sem dizer quais.

A outra opção da Great Wall está na Bahia e talvez seja grande e cara demais para as pretensões da chinesa. Após a Ford anunciar em janeiro o fechamento de suas fábricas no Brasil, o governo baiano criou um grupo de trabalho para atrair possíveis compradores para a fábrica de Camaçari e confirmou que fez contato com a embaixada da China no País para fomentar o interesse de montadoras chinesas.

Interesse antigo de abrir uma unidade do Brasil

Tal interesse da Great Wall em instalar uma fábrica no Brasil, maior mercado da América do Sul, se dá pelo fato de ser umas das regiões do mundo incluídas nos planos de expansão internacional da empresa. Na região, a fabricante já mantém uma pequena linha de montagem no Equador e vende seus carros em diversos países, como Uruguai, Peru, Bolívia, Paraguai, Argentina e Chile – este último onde atualmente faz seu maior volume regional, com 2,4 mil veículos vendidos e faturamento de US$ 44 milhões em 2020.

Durante um evento na China em setembro de 2012, a Great Wall confirmou à Automotive Business que estudava formas de produzir seus carros no Brasil, pois na época a sobretaxação a veículos importados criada pelo Inovar-Auto praticamente inviabilizava qualquer operação por meio exclusivo de importações.

Veja ainda: Ford terá de pagar R$ 2,5 bilhões em indenizações ao governo da Bahia após fechar sua fábrica

A Ford terá de pagar uma indenização de aproximadamente R$ 2,5 bilhões ao governo do estado da Bahia, após fechar a fábrica de Camaçari, na região metropolitana de Salvador. A montadora recebeu incentivos fiscais desde o início de suas operações no Estado, em 2001. O acerto deve ser divulgado nos próximos dias.

De acordo com a CNN, existe a possibilidade da Ford manter uma ala da fábrica na Bahia para produzir peças para o mercado de reposição, mas o projeto ainda não foi confirmado. A Ford ainda disse à emissora que tem recebido vários contatos de interessados em adquirir as instalações da fábrica, mas nada conclusivo.

Tags:
Roberta Souza
Engenheira de Petróleo, pós-graduanda em Comissionamento de Unidades Industriais, especialista em Corrosão Industrial. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal. Não recebemos currículos