ExxonMobil inicia perfuração no bloco de Titã, localizado no pré-sal da Bacia de Santos

Roberta Souza
por
-
18-08-2021 13:15:18
em Petróleo, Óleo e Gás
ExxonMobil – óleo e gás – São Francisco Plataforma de petróleo da ExxonMobil/ Fonte: Offshore Tecnology

Segundo a ANP, cerca de três anos depois de arrematar o bloco de Titã, no pré-sal da Bacia de Santos, a americana ExxonMobil iniciou a primeira perfuração exploratória na área

A ANP – Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis, divulgou através dos seus poços em atividade, que a petroleira americana ExxonMobil começou depois de três anos, a primeira perfuração exploratória do bloco de Titã, localizado no pré-sal da Bacia de Santos. Segundo o portal Petronotícias, o navio-sonda West Saturn está realizando a perfuração em lâmina d’água de 2.644 metros. Veja ainda esta notícia: ExxonMobil inicia perfuração em novo poço na Bacia de Campos

O bloco da ExxonMobil que começou a ser explorado

O poço pioneiro da ExxonMobil, localizado no pré-sal da Bacia de Santos, foi batizado com o nome de Titã-1 e a atividade de perfuração começou no último domingo (15). Para lembrar, o bloco é operado pela ExxonMobil (64%) em parceria com a QPI Brasil (36%) e foi arrematado em 2018, durante a 5ª Rodada de Partilha. O bônus de assinatura da área foi o maior do leilão, juntamente com Saturno, no valor de R$ 3,125 bilhões.

A aquisição do bloco de Titã, no pré-sal da Bacia de Santos

Em 2019, a diretoria da ANP aprovou o programa exploratório mínimo (PEM) de Titã, bloco no pré-sal da Bacia de Santos contratado na 5ª rodada de partilha. Um poço deve ser perfurado até 2020, em uma campanha que faz parte de um planejamento que pode chegar a até 22 poços no pré-sal. A ExxonMobil iniciou duas frentes de licenciamento ambiental para as áreas que arrematou na 14a e 15a rodadas e nos 3o, 4o e 5o leilões do pré-sal, realizados desde de setembro de 2017. São até 22 poços exploratórios a serem perfurados, sendo dois firmes, um no bloco C-M-789 e o outro no bloco Titã.

Estavam previstas a perfuração de até 17 poços exploratórios nos blocos CM-753, C-M-789, S-M-536, S-M-647 e Titã, nas bacias de Campos e Santos. Na área dos blocos C-M-037 e C-M-067, ambos na Bacia de Campos, está prevista a perfuração de até cinco poços exploratórios. A ExxonMobil possui atualmente participação em 26 ativos exploratórios no Brasil nas bacias de Campos, Santos, Sergipe-Alagoas, Ceará e Potiguar. A empresa já faz atualmente a aquisição de dados sísmicos na parte Norte da Bacia de Campos.

Leia ainda esta notícia: ExxonMobil informou à ANP sobre existência de petróleo e gás natural em ativo, na Bacia de Campos

A petroleira ExxonMobil divulgou que encontrou indícios de petróleo e gás natural em um importante poço em águas ultraprofundas, localizado na Bacia de Campos, mas a empresa não informou se a descoberta é economicamente viável. O indício sobre a existência de petróleo e gás no ativo foi divulgado pela ANP.

A ExxonMobil estudará os resultados do poço Opal-1 A para avaliar o potencial de exploração, disse a empresa em comunicado. Seus parceiros no ativo, localizado na Bacia de Campos, são a Petrobras e a Qatar Petroleum. A ExxonMobil contratou a sonda West Saturn, da Seadrill, para campanhas no Brasil. Em janeiro, recebeu licença para perfuração de dois poços firmes e quatro contingentes aos resultados da campanha. Ao todo, a empresa mapeou 15 possíveis locações nos blocos BM-C-753, BM-C-789 (ambos na Bacia de Campos), BM-S-536, BM-S-647 e Titã (os três em Santos).

A indústria de exploração do Brasil espera os resultados desse poço, e de outros, para ajudar a determinar o quão longe a região do pré-sal se estende além do grupo inicial de campos descobertos pela Petrobras. A região é a espinha dorsal dos planos de crescimento da estatal brasileira. A ExxonMobil também tem planos de perfurar em duas outras bacias offshore no Brasil. Apesar do sucesso da Petrobras no pré-sal, tem havido decepções por pares que, como a ExxonMobil, compraram direitos de perfuração caros no Brasil antes que os preços do petróleo despencassem.

Tags:
Roberta Souza
Engenheira de Petróleo, pós-graduanda em Comissionamento de Unidades Industriais, especialista em Corrosão Industrial. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal. Não recebemos currículos
fwefwefwefwefwe