Equinor contratará o maior FPSO do Brasil para projetos do pré-sal em Carcará

Equinor obras Carcará presal subsea
 

A Gigante norueguesa Equinor vai fundar nova construção que será o maior FPSO operando no Brasil, incluindo prestadores de serviços em Subsea

A Equinor, da Noruega, está avançando nos planos de alugar uma grande embarcação flutuante de produção, armazenamento e descarregamento( FPSO) e contratar equipamentos submarinos para o seu gigantesco campo pré-sal de Carcará, com premiações esperadas para o final deste ano. “Decidimos optar por um FPSO de projeto padrão e um contrato submarino integrado cobrindo o sistema de produção e umbilicais, risers e flowlines”, disse Margareth Ovrum, vice-presidente executiva de desenvolvimento e produção da Equinor no Brasil.

Ela acrescentou que o FPSO terá capacidade de produção de 220 mil barris por dia de petróleo, tornando-se a maior unidade offshore em operação em águas brasileiras.

“Será uma nova construção de design padrão, com alguns pequenos acréscimos em segurança e digitalização. Isso permite uma execução mais rápida e custos mais baixos ”, disse ela, acrescentando que os dois principais impulsionadores da lucratividade nas peças do pré-sal são a produção inicial e a capacidade superior.

Empresas que podem fornecer para este contrato eventualmente

Fontes bem informadas disseram que a Equinor vem conduzindo conversas informais com até três especialistas em flutuantes, incluindo a Modec, do Japão, SBM Offshore e, possivelmente, a BW Offshore da Noruega sobre estudos pré-front-end de engenharia e design para o FPSO.

Para os equipamentos submarinos ,  especulam-se que apenas dois consórcios, o TechnipFMC e uma parceria entre a Subsea 7 e a OneSubsea, pertencente à Schlumberger foram convocados pela Equinor e estão ativamente engajados em estudos pré-FEED.

O contrato em oferta não incluirá apenas a configuração submarina águas profundas, mas também soluções sobre como lidar com os enormes volumes de gás natural no campo.

Estima-se que as estruturas carbonáticas combinadas de Carcará ,no Bloco BM-S-8 e na área adjacente ao norte de Carcará, contenham recursos recuperáveis ​​de cerca de 2 bilhões de barris de óleo equivalente. Segundo a Ovrum, para lidar com as incertezas relacionadas ao gás associado no campo e eliminar a dependência da cadeia de valor, a Equinor decidiu reinjetar o gás natural.

“Encontramos uma maneira de reinjetar gás no reservatório para aumentar a recuperação. Nós removemos a incerteza e aumentamos a recuperação de petróleo ”, disse ela.

Até o momento da decisão final de investimento para a contratação do FPSO e do pacote submarino, que deverá ocorrer no quarto trimestre, a Equinor acredita que um acordo de unitização cobrindo o BM-S-8 e o norte de Carcará estará em vigor.

A Equinor decidiu optar por um desenvolvimento em fases no Carcará, com um plano de desenvolvimento a ser apresentado ao regulador do mercado brasileiro em 2000.

A produção comercial começaria na área onde a primeira descoberta de Carcará foi feita no BM-S-8, com o FPSO sendo implantado no final de 2023 ou início de 2024.

A segunda fase exigiria o desenvolvimento da área norte de Carcará.

A Ovrum não quis divulgar detalhes sobre o momento da próxima fase, que pode exigir a criação de outra grande unidade de produção, mas revelou que a perfuração de avaliação da Carcará Oeste mostrou-se bem promissor.

Após a conclusão da Carcará Oeste, a Equinor pretende perfurar um segundo poço no norte de Carcará com o navio Seadrill West Saturn.

A empresa também está avaliando a possibilidade de voltar à sonda Guanxuma no BM-S-8 no final deste ano para completar o poço e possivelmente realizar um teste de produção, disse Ovrum.

A Equinor opera tanto o BM-S-8 quanto o norte de Carcará, com 40% de participação. A supercomissão norte-americana ExxonMobil e a Galp Energia de Portugal detêm 40% e 20%, respectivamente.





Baixem também o aplicativo  Empregos e Noticiais CPG para Android na Playstore clicando aqui. Nele postamos informações e oportunidades exclusivas todos os dias.

Gostaria de compartilhar uma foto conosco da sua área de trabalho, vagas de empregos ( com as fontes), sugestões de pautas ou alguma outra informação importante do ramo de energia e empregabilidade? Entre em contato com a gente no Messenger aqui.

Sobre Paulo Nogueira

Formado em Eletrotécnica e entusiasta do setor de tecnologia, já atuei em empresas do ramo de energia, óleo e gás em operações de completação, perfuração e produção em empresas em parceria com grandes empresas multinacionais do setor.