Enauta decide assumir 100% de Atlanta e lançará licitação para afretamento de FPSO

Flavia Marinho
por
-
22-12-2020 15:02:58
em Petróleo, Óleo e Gás
enauta - atlanta - FPSO

A Enauta disse que buscará parceiros para desenvolver o campo e iniciar o processo de licitação para operações do afretamento do FPSO

A petrolífera brasileira Enauta optou por adquirir uma participação adicional de 50 por cento no bloco offshore da Bacia de Santos de sua parceira Barra Energia após considerar encerrar as operações no Campo de Atlanta devido sua sócia abandonar o ativo em novembro. Procurando emprego? 45 vagas! Construtora Odebrecht abre processo seletivo no RJ, SP, MG, BA, PA e PR para estudantes de nível superior

Leia também

A empresa, antes conhecida como Quireoz Galvão, concordou em assumir a propriedade total da participação operacional no Bloco BS-4, offshore do Brasil, onde o campo produtor de Atlanta está localizado

A mudança da Barra deixou a Enauta para decidir se tomava a participação da Barra no bloco ou se prosseguia com o abandono conjunto do projeto, uma vez que o sistema de produção inicial – Petrojarl I FPSO – tenha encerrado as operações.

A Enauta disse ontem (22/12) que decidiu adquirir a participação da Barra. Após a aprovação dos órgão reguladores, a Barra Energia pagará $ 43,9 milhões para a Enauta relacionados às operações de abandono dos três poços e descomissionamento das instalações existentes no campo.

Apenas 1,25% do óleo produzido

Décio Oddone, CEO da Enauta, afirmou: “Atlanta tem 1,3 bilhão de barris de petróleo, dos quais apenas 1,25% foram produzidos até agora. Tomamos essa decisão porque acreditamos que é possível desenvolver um projeto mais resiliente e que possa criar valor, apesar de um cenário de preços de petróleo mais baixos. ”

A Enauta disse que buscará parceiros para desenvolver o campo e iniciar o processo de licitação para operações do afretamento do FPSO, “uma etapa fundamental para a aprovação do projeto.”

Teekay Petrojarl I, o atual FPSO do campo, passou quase três décadas trabalhando no Mar do Norte, antes de se mudar para o Brasil, onde iniciou a produção no campo de Atlanta em 2018.

Em atualização no dia 11 de novembro, a Enauta disse esperar uma produção média diária no Campo de Atlanta de 20 mil barris de petróleo por dia para 2020 e 16 mil barris de petróleo por dia para 2021. Não está claro se essa projeção ainda se mantém, dado que , em 19 de novembro, a Enauta anunciou a “suspensão preventiva” da produção do Campo de Atlanta, após corrosão encontrada em alguns equipamentos que poderiam prejudicar a funcionalidade.

“A Enauta decidiu suspender as operações como medida preventiva até que as dúvidas sejam definitivamente esclarecidas. A Companhia está analisando com assessores técnicos e com a operadora do FPSO as possíveis medidas e prazos necessários para a retomada de operações estáveis ​​e seguras”, disse a empresa na ocasião .

Tags:
Flavia Marinho
Engenheira de Produção pós graduada em Engenharia Elétrica e Automação. Experiente na indústria de construção naval onshore e offshore. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal.