Embraer vai parar fábricas no Brasil e dar férias coletivas a 15 mil funcionários após ser vendida à Boeing

Embraer Boeing Brasil

Embraer vai conceder férias coletivas em janeiro a todos os seus funcionários no Brasil, cerca de 15 mil trabalhadores, segundo o Sindicato de Metalúrgicos de São José dos Campos (SP)

A Embraer vai conceder férias coletivas em janeiro a todos os seus funcionários no Brasil; cerca de 15 mil trabalhadores, em preparação para a transferência do controle de sua divisão de aviação comercial para a norte-americana Boeing, informou o Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, nesta quinta-feira, 10 de outubro. Na semana passada a Embraer abriu mais de 300 vagas para jovens que buscam o primeiro emprego.

Os salários serão pagos normalmente durante a licença, que vai durar de 6 a 20 de janeiro, disseram a empresa e o sindicato dos metalúrgicos que representa os trabalhadores da Embraer.

De acordo com o sindicato, além de parar as atividades da empresa no estado de São Paulo, também vai afetar unidades em Belo Horizonte.

A entidade acrescentou que a decisão da empresa “causa apreensão entre os trabalhadores, preocupados com as medidas que a nova direção da companhia eventualmente possa tomar”.

A Boeing concordou em comprar 80% da divisão de planos comerciais da Embraer por 4,75 bilhões de dólares, um acordo aprovado pelos acionistas e pelo governo brasileiro, mas que está passando por intensa investigação regulatória na Europa.

“O objetivo da licença é implementar a segregação interna do negócio de aviação comercial”, disse a Embraer em comunicado.

É improvável que o acordo tenha recebido aprovação regulatória até 20 de janeiro, já que as autoridades europeias estabeleceram o prazo para o dia 20 de fevereiro para emitir sua decisão sobre o acordo.

A empresa disse que os trabalhadores retornarão às suas funções normais na Embraer, sem nenhum envolvimento da Boeing, até que o acordo seja aprovado.

A Embraer disse neste mês que espera que o acordo seja fechado no início de 2020, após o escrutínio regulatório adicional. Anteriormente, a Embraer havia dito que o acordo seria fechado até o final de 2019.

Flavia Marinho

About Flavia Marinho

Engenheira de Produção pós graduada em Engenharia Elétrica e experiente na indústria de construção naval. OBS: Não contratamos, então não envie currículos! Informações sobre empregabilidade apenas no site.