Em leilão da Aneel, novos projetos de energia solar no Ceará receberão investimentos de R$ 418 milhões

Energia solar – usina – solar Painéis de energia solar/ Fonte: Mais Retorno

Durante o último Leilão de Energia Nova A-5 de 2021, o estado do Ceará teve dois projetos solar fotovoltaicos aprovados

Na última semana, o estado do Ceará teve dois projetos de energia solar fotovoltaica aprovados no Leilão de Energia Nova A-5 de 2021, aprovado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Os projetos contarão com um investimento, somado, de R$ 418 milhões. O leilão ainda teve outros 38 projetos aprovados, acumulando um total de 860,8 mW de potência. Leia ainda esta notícia: Aneel realiza leilão, vende todos os lotes de energia e prevê investimentos de R$ 7,3 bilhões, com geração de 15 mil novos empregos

Os projetos de energia solar aprovados no estado do Ceará

No Ceará, os projetos aprovados foram: o Bom Jardim I e III, da Qair Brasil. Somados, os projetos no Ceará têm uma potência de 96,2 mW. A Qair está presente em vários países, como Brasil (com sede em Fortaleza), França, Islândia, Itália, Marrocos, Vietnã, entre outros.

Os projetos no Estado também foram os que venderam energia no maior valor dos aprovados pelo LEN A-5 2021, com o preço de R$ 168 /mWh. No entanto, apenas cinco distribuidoras contrataram energia no leilão, que contou com quase 1.700 projetos. A lista conta com Celpa, Cemar, CPFL Jaguari, CPFL Paulista e Light.

Na região Nordeste, diversos projetos receberão investimentos

Além dos projetos no Ceará, o Nordeste confirmou a contratação de energia de 11 outras unidades, todas de fonte eólica. São 5 na Bahia (Morro 1 e 2, e V. De Santa Luzia 11, 12 e 13); 5 no Rio grande do Norte (V. de São Rafael 1 a 5); e 1 em Pernambuco (Serra das Vacas B).

Para Jurandir Picanço, consultor de Energia da Fiec (Federação das Indústrias do Estado do Ceará) e presidente da Câmara Setorial de Energias Renováveis do Ceará, o último leilão da Aneel foi muito positivo para o Ceará. Segundo ele, além dos projetos aprovados, o Estado ainda deverá se beneficiar das fontes eólicas, já que conta com grandes empresas de produção de pás e aerogeradores instaladas. Ele citou os casos da dinamarquesa Vestas e a cearense Aeris Energy.

Confira ainda esta notícia: Leilão de energia da Aneel poderá atrair R$ 3 bilhões em investimentos e agregar 860 MW

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), iniciou o leilão de energia nova A-5, que tem como objetivo a contratação de empreendimentos a partir diferentes fontes de geração. O leilão que também foi realizado pela CCEE (Câmara de Comercialização de Energia Elétrica), resultou em 40 projetos de geração que vão agregar 860 MW ao SIN (Sistema Interligado Nacional) e vão demandar investimentos de R$ 3 bilhões.

No total, os empreendimentos, que terão que começar a fornecer energia ao país a partir de 2026, vão demandar R$ 3 bilhões em investimentos. Segundo a Aneel, o leilão proporcionará uma economia de R$ 1,3 bilhão para os consumidores.

Neste certame, a Empresa de Pesquisa Energética (EPE), cadastrou 1.694 projetos de energia, totalizando uma oferta de 93.859 megawatts (MW), com início de suprimento em 2026. Os prazos variam de acordo com a fonte. Os contratos por quantidade serão de 25 anos para empreendimentos hidrelétricos e de 15 anos para projetos de energia eólica e solar. A contratação na modalidade por disponibilidade valerá para usinas termelétricas, com prazo de suprimento de 20 anos.

Tags:
Roberta Souza
Engenheira de Petróleo, pós-graduanda em Comissionamento de Unidades Industriais, especialista em Corrosão Industrial. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal. Não recebemos currículos
fwefwefwefwefwe