Corveta Inhaúma já está pintada para ser usada como alvo e será afundada hoje, 18 de junho

Navio de escolta será descomissionado

Corveta foi desativada em 2016 pela Marinha do Brasil e será usada nos teste do míssil Mansup que está marcado para hoje

Conforme o Click Petróleo e Gás publicou no dia 10 de junho, a Marinha do Brasil irá dar baixa em dois navios de escolta por considerarem baixa a relação atual de custo/benefício das embarcações.
Os dois navios são a Fragata Niterói (F40) e a Corveta Jaceguaí (V31). Conforme informamos no mesmo artigo, especula-se que a Corveta Jaceguaí (V-31), construída no Arsenal de Marinha do rio de Janeiro, terá como seu destino final virar alvo do míssil MK.48.

O alvo de hoje

O alvo da vez porém, é a Corveta Inhaúma (V-30) que foi incorporada à Armada em 12 de dezembro de 1989 e foi desativada em 25 de novembro de 2016, e por ser a primeira, deu nome a série. As informações são que o exercício de afundamento da embarcação aconteça hoje.

Durante a semana passada foi possível observar o navio com as pinturas laranja e vermelho atracado no cais do Arsenal de marinha, para ser usada como alvo de tiro real pela Marinha do Brasil.

Segundo informações o navio será alvo do MANSUP (Míssil Antinavio Nacional de Superfície) e também do torpedo pesado Mk.48, lançado de submarino.
O lançamento do MANSUP será da fragata Independencia (F44), é do tipo “sea skimming” de voo rente ao mar (em velocidade transônica), sendo propulsado por motor-foguete com propelente sólido, e alcance máximo de aproximadamente 70km.

É o terceiro e último protótipo do míssil e é parte dos testes de arma da Marinha. Em março a Marinha do Brasil já havia feito um lançamento.

O teste da época, foi á partir da Fragata Independência, foi realizado numa área próxima a Cabo Frio, litoral do Rio de Janeiro e foi considerado positivo pelos oficiais que participaram do lançamento, inclusive na coleta de dados para aperfeiçoamento do protótipo.

Veja também ! Estaleiros se unem contra a Medida Provisória que facilita compra de navios do exterior !

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião do Click Petróleo e Gás.

Renato Oliveira

Sobre Renato Oliveira

Engenheiro de Produção com pós-graduação em Fabricação e montagem de tubulações com 30 anos de experiência em inspeção/fabricacão/montagem de tubulações/testes/Planejamento e PCP e comissionamento na construção naval/offshore (conversão de cascos FPSO's e módulos de topsides) nos maiores estaleiros nacionais e 2 anos em estaleiro japonês (Kawasaki)