Contratos de 12 campos offshore operados pela Petrobras, estão sendo avaliados pela ANP


A Agência Nacional do Petróleo – ANP, está avaliando a renovação dos contratos de 12 campos offshore operados pela Petrobras

A renovação do contrato do campo Roncador localizado na Bacia de Campos vem sendo analisado pela Agência Nacional do Petróleo – ANP, para que haja prosseguimento no mesmo, faz-se necessário a aprovação de novos planos de investimentos nos campos. O campo é operado pela Petrobras  que detem 75%  do ativo e sua sócia Equinor 25%.

A parceria entre a Petrobras e a Equinor, antiga Statoil, no projeto do campo de Roncador, em águas profundas da Bacia de Campos, ocorreu no dia 15 de junho de 2018. A norueguesa, obteve 25% de participação no campo, pagou à Petrobras US$ 2 bilhões. Outros US$ 550 milhões contingentes foram investidos em projetos para aumento da recuperação do campo.

Roncador é o terceiro maior produtor de petróleo do país, superado apenas por Lula e Sapinhoá, campos do pré-sal da Bacia de Santos.

Saiba quais são os doze campos offshore operadores pela Petrobras, com renovação de contrato analisados pela ANP, que juntos, produzem mais de 270 mil barris/dia e 7 milhões de m³/dia de gás

  • Roncador
  • Barracuda
  • Caratinga
  • Albacora Leste
  • Espadarte
  • Paru
  • Manati
  • Pampo
  • Enchova
  • Enchova Oeste
  • Marimbá e Bonito

Os ativos  Pampo, Enchova, Enchova Oeste, Marimbá e Bonito pertencem aos polos em águas rasas Enchova e Pampo, ao qual fazem parte  do plano de desinvestimentos da estatal, que informou no dia 5 de junho, as ofertas finais recebidas de mais de US$1 bi, para a venda dos mesmos.

Extensão de contratos aprovada pela ANP vão render US$ 18 bilhões em investimentos. A agência já aprovou a ampliação do prazo de concessão de nove campos. Desses, seis são campos marítimos (Marlim, Marlim Leste, Marlim Sul, Frade, Voador e Ubarana).

Petrobras paga 700 milhões de dólares por cancelar contrato de sonda

Nesta sexta-feira, 21 de junho, a Petrobras pagou à Vantage Drilling aproximadamente US $ 690,8 milhões após definição de sentença na Corte Federal do Texas, nos Estados Unidos.

De acordo com a estatal, o pagamento não encerra o litígio, pois a petroleira brasileira recorreu de decisão, mas cessa a incidência de juros à condenação e permite que bloqueios cautelares de bens da empresa e de suas subsidiárias na Holanda sejam retirados.

STF suspende ação Trabalhista bilionária contra a Petrobras

Curso de Salvatagem + HUET

Flavia Marinho

About Flavia Marinho

Engenheira de Produção pós graduada em Engenharia Elétrica e experiente na indústria de construção naval. OBS: Não contratamos, então não envie currículos! Informações sobre empregabilidade apenas no site.