Combustível sustentável para aviação deve chegar ainda este ano no mercado brasileiro

Combustível sustentável - aviação - mercado Construção de turbina de avião – Fonte: Reprodução Google

Foi lançado primeiro estudo dos efeitos do uso de SAF – Combustível sustentável para aviação

Foi lançado esta semana, pela Airbus, Rolls-Royce e a fabricante de combustível NESTE, o primeiro estudo de emissões de combustível 100% sustentável para aviação, conhecido como SAF (Sustainable Aviation Fuel), em um avião comercial de passageiros. O projeto Emission and Climate Impacto d Alternative Fuels (emissões e impactos climáticos dos combustíveis alternativos) estuda os efeitos do uso de SAF puro nas emissões e no rendimento dos aviões.

Leia também

Diretor da Airbus da explicações sobre combustível sustentável

“Atualmente, os aviões só podem funcionar com uma mistura máxima de 50% de SAF e querosene fóssil; esta parceria permitirá entender como os motores de turbina a gás funcionam utilizando 100% do combustível sustentável visando a certificação, além de identificar as possíveis reduções de emissão e os benefícios ambientais”, explica o diretor do Programa de Novas Energias da Airbus, Steven Le Moing.

Os testes nas turbinas tiveram início esta semana nas instalações da Airbus, em Toulouse, na França utilizando um A350-900, com propulsores Rolls-Royce. Foi o primeiro voo para comprovar a compatibilidade operacional do uso do combustível sustentável puro com os sistemas da aeronave. Estão previstos também, testes de emissões em voo e análises em terra para mensurar as emissões de partículas e determinar o impacto ambiental do uso de SAF nas operações aeroportuárias.

A aviação civil internacional já respondia por 2% das emissões globais de CO2, antes da pandemia de covid-19, que reduziu drasticamente o número de voos.

O Corsia, a partir de um acordo internacional, se comprometeu com metas de crescimento neutro de emissões a partir de 2020, em uma fase piloto e voluntária. Já a partir de 2027, as medidas e metas de redução de emissões valerão para todos os países, e o combustível sustentável terão um papel crucial neste sentido.

Segundo o vice-presidente da NESTE para Europa, Jonathan Wood, o combustível de aviação sustentável produzido pela empresa reduz em até 80% as emissões de gases de efeito estufa comparado ao uso de combustíveis fósseis.

Aviões comerciais aptos a usar biocombustíveis até 2030

A iniciativa do grupo vem na esteira de um anúncio recente da Boeing de garantir que todos os seus aviões comerciais estarão aptos a usar combustíveis de aviação 100% sustentáveis até 2030.

Em janeiro deste ano, a fabricante norte-americana divulgou que realizou testes de voo substituindo o querosene fóssil por renovável, e se comprometeu a trabalhar com os reguladores para aumentar o limite de mistura permitido.

Tags:
Valdemar Medeiros
Formado em Segurança do trabalho, especialista em marketing de conteúdo em conjunto de ações de SEO e Universitário de Publicidade e Propaganda.