Brasil e Argentina estreitam relações no setor nuclear e INB fará nova entrega de combustível ao país vizinho

Flavia Marinho
por
-
09-05-2020 10:36:19
em Economia, Negócios e Política
BRASIL FARÁ NOVA ENTREGA DE COMBUSTÍVEL NUCLEAR PARA A ARGENTINA BRASIL FARÁ NOVA ENTREGA DE COMBUSTÍVEL NUCLEAR PARA A ARGENTINA

A relação comercial entre Brasil e Argentina no que se refere o combustível nuclear teve início em 2016, com a exportação da primeira carga de 4 toneladas

A estatal INB – Indústrias Nucleares do Brasil irá entregar uma nova carga de combustível nuclear para a Argentina, consolidando que Brasil e Argentina vêm estreitando suas relações no setor nuclear. FURNAS energizou sua primeira usina solar das três que estão sendo construídas

Leia também

O combustível nuclear é fabricado em Resende, no Rio de Janeiro pela INB. Por medida de segurança não foi divulgado a data que será entregue carga, sendo mantida em sigilo pela estatal brasileira.

A relação comercial entre Brasil e Argentina no que se refere o combustível nuclear teve início em 2016, com a exportação da primeira carga de 4 toneladas do produto para a Combustibles Nucleares Argentinos (Conuar).

Atualmente, a Argentina possui três reatores nucleares gerando cerca de 5 por cento da eletricidade no país. Sendo o primeiro, inciando operação em 1974.

O país vizinho também está desenvolvendo um pequeno protótipo de reator de energia projetado, o CAREM25, já de olho na tendência dos reatores modulares.

Mesmo com a crise global por conta do coronavírus, a Argentina se diz pronta para retomar a construção do CAREM-25 e também de uma instalação de armazenamento a seco de combustível usado, bem como a reforma da usina nuclear Atucha 1.

“Estamos convencidos de que a ênfase deve ser dada à continuidade do nosso plano nuclear e à geração de energia nuclear como uma das reservas de energia. Esse setor é fundamental e vital para os interesses do país. Em momentos de crise como esse, surge a importância do papel do Estado e, no caso da geração nuclear, mostra resiliência energética, à vista dos indicadores atuais”, disse Sergio Lanziani, Ministro de Energia da Argentina.

Tags:
Flavia Marinho
Engenheira de Produção pós graduada em Engenharia Elétrica e Automação. Experiente na indústria de construção naval onshore e offshore. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal.