Através do uso de energia solar, novo dispositivo é criado por cientistas dos EUA para remover impurezas da água

Roberta Souza
por
-
09-04-2021 15:18:11
em Energia Renovável
energia solar, energia, cientistas Usina de energia solar/ Fonte: CicloVivo

Cientistas da Universidade de Princeton, nos EUA, criaram um dispositivo que filtra a água, através do uso de energia solar, tornando-a potável

Na Universidade de Princeton, nos EUA, foi criado por um grupo de cientistas, um filtro que funciona através da energia solar para tornar a água potável. O SAG (Solar Absorbent Gel) é uma esponja que absorve água em temperatura ambiente, que, quando exposta ao sol, filtra a água, retendo contaminantes, como chumbo, óleo e metal. Segundo os cientistas, esse método pode ser usado por pelo menos dez ciclos.

Filtro atráves da energia solar

A criação dos cientistas dos EUA não é apenas uma solução pouco impactante ao meio ambiente e ecologia, mas também de baixo custo e que utiliza apenas a energia solar, portanto, uma excelente oportunidade em países em desenvolvimento onde a água potável é escassa.

Rodney Priestley, cientista e autor correspondente do estudo, disse que para ele, o aspecto mais fascinante deste trabalho foi poder operar completamente fora da grade, em pequena e grande escala. Segundo o cientista, o filtro também pode ser usado em países pouco desenvolvidos onde a purificação de água de baixo custo de energia é necessária.

Contrato assinado para construção de novas usinas de energia solar, no estado de São Paulo

O prefeito Paulo Serra disse que a cidade de Santo André, no ABC Paulista, pode ganhar a construção de quatro novas usinas solares. O prefeito de São Paulo disse que assinou contrato com uma empresa para a concepção e instalação de um projeto de usina solar fotovoltaica e assinou um contrato com a empresa Rennove Engenharia e Consultoria Ltda, com um contrato no valor de R $ 326.500.

Construção das 4 novas usinas de energia solar

O projeto integra planos para melhorar a manutenção e expansão da rede de iluminação pública da cidade. Segundo a Prefeitura Municipal de Santo André, em São Paulo, a meta é implantar até quatro usinas solares com capacidade de geração de 1,2 MWh na cidade para reduzir os gastos com insumos nos próximos anos.

A prefeitura do estado de São Paulo em nota disse que “Apesar de já bastante difundida no meio privado, através da instalação de painéis solares em telhados de residências e empresas, a coogeração de energia elétrica de sistemas fotovoltaicos no setor público é restrita a pequenos projetos isolados. A iniciativa da Prefeitura de Santo André de instalar usinas municipais é inédita. Os municípios arcam com enormes custos de energia elétrica para manter em funcionamento escolas, hospitais, prédios públicos, sistemas de iluminação pública, entre outros”.

Este não é o único projeto do governo de Paulo Serra envolvendo usinas. Desde o último governo, a possibilidade de viabilização de PPP (parceria público-privada) é muito grande, e seus projetos incluem a construção de usinas de incineração de resíduos e a energia que elas geram. Esta medida pode substituir a vida útil limitada dos aterros de resíduos urbanos.

Tags:
Roberta Souza
Engenheira de Petróleo, pós-graduanda em Comissionamento de Unidades Industriais, especialista em Corrosão Industrial. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal. Não recebemos currículos