Após interromper fabricação de veículos e fechar fábricas no Brasil, Ford vê centenas de picapes F-150 0 Km sendo destruídas em acidente de trêm

Flavia Marinho
por
-
08-08-2021 09:57:08
em Indústria e Construção Civil
ford - produção - preço - picape - F-150 - volkswagen - fiat - honda - doblo - renault - motor - audi - kombi - siena Trem com Ford F-150 descarrila nos EUA

Não bastasse produção afetada com a crise global de chips, centenas de picapes F-150 e Ford Transit 0 km sofrem perda total em descarrilamento de trem nos EUA

Trem de carga carregado com carros novos Ford, descarrilado nos Estados Unidos. De acordo com o The Drive, citando a polícia do Missouri (EUA), o incidente aconteceu na última semana. O trem de 44 vagões transportava mais de 400 picapes Ford F-150, bem como vans Ford Transit, e descarrilou por razões desconhecidas. Nenhuma das pessoas ficou ferida, ao contrário dos carros que tiveram perda total e terão que ser destruídos.

Leia também

Acredita-se que o trem transportava veículos de uma fábrica de montagem da Ford no Kansas, Klycomo, Missouri. Os novos F-150 e Transit chegaram às concessionárias da marca e, portanto, aos clientes que pagaram os carros antecipadamente. Aparentemente agora eles vão voltar para a fábrica, mas não para reparos. Ford provavelmente vai querer reutilizar semicondutores escassos e outras peças caras.

Quanto à cena, levará pelo menos alguns dias para limpar as quatro dúzias de vagões esmagados e centenas de carros. Esta previsão foi dada por um ferroviário ao jornal local Lake Gazette.

Mar de picapes Ford F-150
Mar de picapes Ford F-150 | Facebook

O acidente de trem está longe de ser o único problema que a Ford enfrentou nos últimos anos com dificuldades de produção e entrega. Devido à escassez global de chips que se seguiu ao bloqueio de mais de 60.000 veículos inacabados, a Ford foi forçada a suspender em julho e junho. trabalhar em muitas das empresas.

Mais cedo, a empresa anunciou que havia se tornado pouco rentável para abastecer revendedores com muitos carros em várias configurações – isso foi causado pela escassez de peças que são fundamentais para a eletrônica automotiva. Em vez disso, a Ford está considerando versões personalizadas que ajudarão a descarregar armazéns e melhorar os resultados financeiros. A marca ainda não comentou sobre o acidente de trem.

Ford Motor desembarca 450 carros no porto do ES e vai trazer 30 mil veículos para o Brasil produzidos em fábricas no exterior

Após deixar de fabricar veículos e fechar suas fábricas no Brasil, a montadora Ford Motor passa a importar veículos pelo Porto de Vitória. Na semana passada, aconteceu o desembarque de 450 carros, que chegaram ao Estado pelo navio Torrens. A estimativa é de que cheguem ao Brasil, via Espírito Santo, aproximadamente 30 mil carros por ano.

No dia 18 de maio, chegaram ao porto de Vitória, os primeiros veículos da montadora americana. Antes, a Ford trazia seus carros através da Baixada Santista e Bahia.

Agora, o Terminal Portuário de Vila Velha (ES) será a única porta de entrada da Ford no Brasil. Segundo a Log-In Logística, empresa responsável pela operação, o complexo receberá, anualmente, cerca de 28 mil e 30 mil carros da empresa americana.

A entrega foi acompanhada pelo governador Renato Casagrande, que também conheceu o novo pátio de armazenamento e movimentação de veículos operado pela LogIN TVV dentro do Porto de Vitória.

“Viemos acompanhar e celebrar a importância da importação dos veículos da Ford no Espírito Santo. Serão, ao todo, cerca de 30 mil veículos por ano, importados aqui pelo Estado que se somam a outras marcas, que já são importadas por aqui. Isso fortalece a economia capixaba, a de Vila Velha e também a de Cariacica. Quanto mais capacidade de investir, mais capacidade para criar oportunidades aos capixabas”, destacou.

Após Volkswagen, Honda, Audi, Volvo e Renault, chefão da Ford Motor anuncia o encerramento da produção de motores a combustão, a gasolina e a diesel para focar nos carros elétricos, mas não dá uma data

Após encerrar produção de veículo e sair do pais, o chefão da Ford Motor nas Américas, Kumar Galhotra, disse que a montadora tem a eletrificação plena no radar. A afirmação vai de encontro com as gigantes da indústria automotiva, como Volkswagen, Honda, Volvo e Renault, que também anunciaram, recentemente, que já pararam ou vão parar o desenvolvimento e a produção dos motores a combustão, a gasolina e a diesel para investir na fabricação de carros elétricos.

A fabricante de automóveis estadunidense confirmou, ao mercado, que embora ainda esteja muito longe e não saber quando exatamente, a Ford será uma marca totalmente elétrica no futuro e deixará de lado os motores a combustão para atender às novas normas de emissões de carbono.

Galhotra disse: “Posso ver facilmente um ponto em que diríamos: ‘Esta é a data em que estaríamos totalmente elétricos’”. Ele completou: “Certamente estamos trabalhando para isso.”

Um dos mais importantes fabricantes de automóveis do mundo está com problemas?

Ainda não. Apesar de enfrentar atrasos relacionados à pandemia e o fogo no Fornecedor de chips Renesas, a Ford lucrou no último trimestre. O Ford F-150, vans transit, Bronco, Expedition, e mais permanecem fortes e populares.

Mas o lucro é atribuído principalmente a medidas de corte de custos e ao aumento dos preços das transações no mercado automobilístico em expansão. A Ford garantiu US$ 26,8 bilhões, o que é 3 bilhões de dólares acima das previsões anteriores.

Isso é lamentável para os consumidores, no entanto. O preço médio dos veículos Ford nos mercados dos EUA subiu para US $ 47.961. Este é um aumento de 6,3% em relação ao último trimestre. Além disso, um acidente de trem não ajudará os preços a voltar ao normal.

Como fornecedores de chips como a fábrica renesas retornam a todo vapor, eles continuarão trabalhando para estabilizar a escassez de suprimentos. Isso fornece uma perspectiva positiva para concessionárias e compradores à medida que se espera que mais estoques cheguem.

Assim como a icônica Kombi da Volkswagen, nova legislação faz desaparecer, ainda este ano, o Uno, Doblo e o Grand Siena da Fiat

Segundo o jornalista Fernando Calmon, que é colunista do Portal AutoPapo, a multinacional Fiat terá que encerrar a produção do Uno, Doblo e Grand Siena. Isso pois, a partir de janeiro de 2022, passará a valer uma nova fase do Proconve, a L-7, e os três modelos da montadora italiana vão desaparecer pelas novas exigências de emissões do controle ambiental, assim como aconteceu, em 2014, com a icônica Kombi da Volkwsagen, pela exigência de airbags e freios ABS.

Segundo Calmon, a fábrica da Fiat não acha que vale a pena investir em novos tanques e sistema de alimentação nestes carros para cumprir os novos limites de evaporação proveniente dos tanques de gasolina e etanol.

Tags:
Flavia Marinho
Engenheira de Produção pós graduada em Engenharia Elétrica e Automação. Experiente na indústria de construção naval onshore e offshore. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal.
fwefwefwefwefwe