Após a zeragem dos impostos federais PIS e Cofins, preço do gás de cozinha atinge 120 reais

Flavia Marinho
por
-
30-03-2021 11:09:40
em Petróleo, Óleo e Gás
gás de cozinha - disel - GLP - gasolina - preço Centro de distribuição de gás de cozinha – botijão de 13 kg / Fonte: reprodução Google

Preço do gás de cozinha atinge 120 reais no Centro-Oeste brasileiro mesmo com imposto federal PIS e Cofins zerado; gasolina e diesel recuam

Mesmo após o governo federal zerar os impostos PIS e Cofins para a venda do botijão de 13 Kg de Gás Liquefeito de Petróleo (GLP) e uma ligeira queda da commodity na semana passada no mercado internacional, que induziu reduções nos preços da gasolina e diesel pela Petrobras no dia 25 de março, o preço do gás de cozinha atingiu R$ 120,00 na região Centro-Oeste, o mais alto valor da história do combustível!

Leia também

O preço do gás de cozinha ficou praticamente estável em R$ 83,25 o botijão, na média nacional, cujo último reajuste da Petrobras foi em 1º de março.

Entre a semana passada e a anterior, a região Sudeste apresentou ligeira queda de preços no gás de cozinha, de 1,5% indo para R$ 62,99. No Sul, a redução de preços foi de 0,1% (R$ 84,19); e no Nordeste, de 0,9% (R$ 81,19) enquanto a região Norte também registrou preços 0,6% mais altos (R$ 93,77).

Segundo dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), mesmo sem isenção dos impostos federais PIS e Cofins, o preço da gasolina recuou 0,7% na semana de 21 a 27 de março contra a semana anterior. Já o diesel, que também foi beneficiado pela queda de impostos, teve redução de preços da ordem de 0,1%.

Impostos PIS e Confis do gás de cozinha e do diesel já estão sendo zerados na hora da compra nas refinarias da Petrobras

Petrobras informa que os impostos PIS e Cofins do gás de cozinha e do diesel já estão sendo zerados na hora da compra nas refinarias. No caso do gás de cozinha, a distribuidora tem que apresentar uma declaração de que será envasado em botijão, para não beneficiar as vendas do GLP para indústrias e empresas.

A pandemia do covid-19 tem aumentado o consumo pelos brasileiros. Em 2020, a alta no preço do gás de cozinha foi de 5% no consumo do botijão de 13 Kg em relação ao ano anterior. Já o consumo de gás de cozinha industrial teve queda de 2,3%.

A Empresa de Pesquisa Energética (EPE) projeta alta no preço de 1,7% ao ano para a demanda de GLP até 2030, substituindo o uso de lenha e carvão nas áreas rurais, enquanto nos centros urbanos o gás de cozinha perde espaço para o gás natural encanado. Em uma década (2021 -2020), o consumo de GLP subiu 8,8%, de acordo com dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

O Brasil possui 19 distribuidoras de GLP, sendo que quatro empresas detém 80% do mercado: Ultragaz (23%); Liquigás (21%); Supergasbras (20%) e Nacional Gás (18%).Segundo o Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Gás Liquefeito de Petróleo (Sindigás).

Tags:
Flavia Marinho
Engenheira de Produção pós graduada em Engenharia Elétrica e Automação. Experiente na indústria de construção naval onshore e offshore. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal.
fwefwefwefwefwe