Americana Johnson & Johnson inaugura em SP sua primeira usina de energia solar, na América do Sul

Flavia Marinho
por
-
28-09-2020 16:31:16
em Energia Renovável
usina de energia solar Johnson & Johnson A fazenda de energia solar da Johnson & Johnson em SP vai evitar a emissão de 215 toneladas de CO2 na atmosfera, equivalente ao plantio de 600 novas árvores por ano

A fazenda de energia solar da Johnson & Johnson em SP vai evitar a emissão de 215 toneladas de CO2 na atmosfera, equivalente ao plantio de 600 novas árvores por ano

Foi em São José dos Campos, no interior de São Paulo que a americana Johnson & Johnson instalou sua primeira usina de energia solar na América do Sul. A fazenda fotovoltaica de 1 megawatt-pico (MWp) de capacidade, foi contruida pela EDP Smart, a maior investidora portuguesa no Brasil, que vai triplicar seus recursos em energia solar no país.

Leia também

“Já estamos registrando um impacto positivo com esse projeto, que vai possibilitar um estudo muito mais amplo na área de sustentabilidade”, afirma Gerardo Vargas, vice-presidente de logística e atendimento ao cliente da Johnson & Johnson para América Latina, em entrevista exclusiva à EXAME.

A fazenda de energia solar foi instalada dentro do maior parque fabril — em área — da Johnson & Johnson no mundo, conta com 3.240 módulos fotovoltaicos, em uma área de 6.000 metros quadrados — o equivalente a um campo de futebol.

A energia renovável gerada na estrutura vai evitar a emissão de 215 toneladas de CO2 na atmosfera, volume que demandaria o plantio de 600 novas árvores por ano para ser neutralizado.

O investimento recente de 800 milhões de dólares em ações sustentáveis até 2030, mostra que este é apenas um dos passos rumo a um futuro mais verde da Johnson & Johnson.

Aqui está um resumo das iniciativas de energia renovável da Johnson & Johnson no Brasil e no mundo

Energia solar Xangai e Changzhou, China; Pulogadung, Indonésia; Baddi, Índia; Toluca, México e Manaus, Brasil

Nas fábricas da SC Johnson na China, Indonésia e Índia, projetos solares ajudam a fornecer aquecimento de água para operações da empresa, incluindo produção aerossol e processos de controle de qualidade.

Sua unidade de fabricação em Toluca, no México, usa água aquecida por energia solar para substituir o gás liquefeito de petróleo (LPG) do refeitório e das instalações de funcionários. Em Manaus, sua usina de energia solar de fabricação produz 100% da eletricidade renovável dos serviços locais para alimentar a fábrica.

Tags:
Flavia Marinho
Engenheira de Produção pós graduada em Engenharia Elétrica e Automação. Experiente na indústria de construção naval onshore e offshore. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal.