A maior usina siderúrgica da América Latina e a líder mundial de nióbio investem em empresa singapuriana; as gigantes globais apostam no grafeno, o material do futuro!

Flavia Marinho
por
-
30-06-2021 10:39:41
em Indústria e Construção Civil
nióbio - grafeno - grafite - csn - cbmm - aço - siderúrgica - mineração - singapura - usina mineração

As gigantes globais e brasileiras CSN e CBMM não perdem tempo, visam a revolução tecnológica e investem no grafeno — o poderoso material 200 vezes mais forte que o aço

De olho na revolução tecnológica mundial que está prestes a acontecer, se já não está acontecendo, faz duas gigantes globais e brasileiras, a CSN e a CBMM, investirem em uma start up singapuriana focada no desenvolvimento do grafeno — o poderoso material flexível 200 vezes mais forte que o aço, mais fino que um fio de cabelo e abundante no Brasil. Esse revolucionário material vai se tornar a próxima revolução tecnológica mundial, com o Brasil à frente!

Leia também

A Inova Ventures, o veículo de venture capital da CSN, acaba de comprar uma participação minoritária não especificada na 2DM, uma startup de Singapura focada no desenvolvimento do grafeno. A gigante do aço brasileiro CSN não quis divulgar o valor do investimento, mas disse que ele está sendo feito em parceria com a japonesa Sojitz Corporation. Já a CBMM, a maior produtora global de nióbio, já fez um aporte na startup em 2019.

Brasil tem a 3ª maior reserva comprovada de grafite no mundo

O grafeno é produzido a partir do grafite, um mineral de ocorrência abundante no Brasil. O País tem a 3ª maior reserva comprovada de grafite no mundo, mas “o grande pulo do gato é a tecnologia para chegar nele”, disse ao Brazil Journal José Noldin, o head de pesquisa e desenvolvimento da CSN.

A 2DM desenvolveu um processo para se chegar ao grafeno que combina baixo investimento, baixo custo e uma tecnologia simples, capaz de chegar a um produto de qualidade ímpar.

Além disso, o processo desenvolvido pela startup é ambientalmente sustentável – basicamente feito com água – reduzindo o uso de produtos químicos e a geração de resíduos, disse Noldin.

Grafeno, o revolucionário material, vai se tornar a próxima revolução tecnológica mundial, com o Brasil à frente

Apontado como um dos materiais do futuro, o grafeno tem propriedades únicas como alta resistência e alta condutividade térmica e elétrica. Pode ser usado, por exemplo, para produzir baterias mais leves e eficientes ou materiais mais resistentes à corrosão.

A 2DM foi fundada em 2015 na National University of Singapore pelos brasileiros Antonio Helio Castro Neto e Ricardo Oliveira e tem no board Konstantin Novoselov, que ganhou o Nobel de Física em 2010 pela descoberta do grafeno.

O objetivo da 2DM é aplicar o material como um aditivo para melhorar diversas propriedades de materiais para mercados como o automobilístico, veículos elétricos, aeronáutico, marítimo, armazenamento de energia, defesa, eletroeletrônico, entre outros.

“O fato de estarem localizados em Singapura proporciona o acesso fácil a um mercado com grande potencial de expansão, como o uso em aplicações eletrônicas e em carros elétricos em países como a China e no Sudeste Asiático”, diz Gabriela Toribio, gestora da Inova Ventures.

Em paralelo, a CSN iniciou um grupo de trabalho dedicado ao grafeno nas instalações de seu centro de pesquisas em Volta Redonda.

Aproveita que chegou até aqui e confira, no vídeo abaixo, como é produzido o nióbio, outro material que promete revolucionar a indústria mundial

Tags:
Flavia Marinho
Engenheira de Produção pós graduada em Engenharia Elétrica e Automação. Experiente na indústria de construção naval onshore e offshore. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal.