2020: Ano de recordes para o agronegócio

Roberta Souza
por
-
23-12-2020 11:06:38
em Usina e Agronegócio
Agronegócio Agronegócio

Alta do dólar, preços internos nunca vistos anteriormente e forte demanda do mercado externo consagraram o agronegócio, neste ano de 2020

O agronegócio brasileiro termina 2020 em alta, com recordes e grandes expectativa para o próximo ano. O setor, que no início da pandemia esperava sofrer com problemas na logística, tanto interna quanto externa, apresentou números impressionanete. Segundo dados do Cepea – Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada, o PIB do agronegócio, no período de janeiro a agosto, cresceu 8,5%.

Confira ainda outras notícias do dia:

Neste ano, o mercado interno teve um grande aumento no consumo e encarou preços nunca vistos anteriormente. O produtor brasileiro se beneficiou de preços internos, tanto no setor de grãos quanto na pecuária. A alta do dólar ainda beneficiou os produtores, com preços atrativos de seus produtos. Já no mercado externo, houve forte demanda, principalmente vindo da China.

O Valor Básico do Produto – VBP, alcançará o recorde de 886 bilhões de reais neste ano e ultrapassará 1 trilhão de reais em 2021.

Os dados da balança comercial mostram que o setor do agronegócio é fundamental para as contas do país neste ano. De janeiro a novembro do ano passado, antes da pandemia, as exportações do agronegócio representaram 43% do total das vendas externas do país. Neste ano, essa proporção subiu para 49%.

Nesse período, o valor total das exportações do setor foi de 94 bilhões de dólares, aumento de 5%. Até novembro, o saldo líquido do setor era de US$ 82 bilhões, devido à redução de 7% nas importações. Por outro lado, segundo dados da Secex – Secretaria de Comércio Exterior, as exportações fora do agronegócio caíram 15% no período.

A soja e o açúcar, são dois produtos se destacam no mercado externo e têm trazido bons efeitos para a renda dos produtores internamente. As oleaginosas ainda são um destaque na economia brasileira. Até novembro, o Brasil exportou 83 milhões de toneladas de grãos. Com isso, o faturamento de toda a fábrica (grãos, farelo e óleo) foi de 35 bilhões de dólares, um aumento de 13% em relação ao ano passado.

Tags:
Roberta Souza
Engenheira de Petróleo, pós-graduanda em Comissionamento de Unidades Industriais, especialista em Corrosão Industrial. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal. Não recebemos currículos