Início Você sabe por que os carros estão tão caros? Além da alta nos preços dos combustíveis, como gasolina e diesel, a dos veículos assusta o consumidor. Entenda!

Você sabe por que os carros estão tão caros? Além da alta nos preços dos combustíveis, como gasolina e diesel, a dos veículos assusta o consumidor. Entenda!

29 de junho de 2022 às 15:40
Compartilhe
Siga-nos no Google News
carros veículos preços dos combustíveis gasolina diesel inflação custos de produção semicondutores demanda frete marítimo impostos
Preços dos carros aumentaram nos últimos 2 anos e a tendência é de continuar avançando | Foto: Jornal Contábil

O preço dos carros é resultado de uma série de fatores que acontecem em simultâneo, como crise dos semicondutores, altos custos de produção, inflação, pandemia e demanda

Está assustado com o preço dos carros? Saiba que você não é o único. Nos últimos anos, o mercado automotivo tem mostrado aumentos consecutivos no preço dos veículos, bem como da gasolina e do diesel. Especialistas apontam que diversos fatores contribuíram para esse feito, além da alta no preço dos combustíveis. Dentre eles, temos a crise de semicondutores, os altos custos de produção e inflação ao nível mundial como protagonistas.

O consumidor vem assistindo uma alta impressionante no valor dos veículos, especialmente nos dois últimos anos. Carros que custavam em média R$ 50 mil agora estão saindo na faixa de R$ 100 mil reais. É difícil enxergar um cenário otimista para a melhoria dos preços enquanto as questões internacionais, como a inflação e o preço dos combustíveis, em especial da gasolina e do diesel, não se resolverem. Entenda qual a relação entre os fatores ambientais na alta do preço dos carros.

Artigos recomendados

Veja o real motivo para a alta no preço dos carros com o vídeo abaixo

Preços dos carros podem ficar ainda mais altos se a situação do mercado nacional e internacional não melhorar | Reprodução – YouTube: O Primo Rico

A pandemia e a crise dos semicondutores tiveram um papel central no aumento dos preços

A pandemia trouxe uma paralisação de todos os setores da economia, inclusive no automobilístico e, com isso, diversos problemas posteriores. Durante esse período, os semicondutores, que compõem carros, computadores, televisões e microprocessadores começaram a ser requisitados para setores que antes não faziam tanto uso deles, especialmente o da saúde.

Assim, houve um redirecionamento das vendas desse componente para outros setores, sendo que o automobilístico foi para o final da fila. Afinal, a produção de carros novos diminuiu e requisitou menos peças.

Os semicondutores compõem boa parte da estrutura do veículo. Um modelo Ônix, por exemplo, possui 1.000 semicondutores, e cada um custa entre R$ 5 e R$ 10. Sendo assim, a falta desse componente no mercado e a alta procura geram um aumento no valor individual de cada semicondutor, impactando nos carros.

Alta nos componentes dos carros como aço, borracha, petróleo e alumínio, bem como o preço do dólar, também influenciaram

Os carros são compostos basicamente por aço, borracha, petróleo e alumínio, os quais tiveram um aumento estrondoso nos últimos 2 anos. O aço subiu 45% desde 2020, a borracha 30%, o alumínio 75% e o petróleo 330%. Os derivados do petróleo estão associados à cadeia de produção dos veículos, estimulando o aumento do produto final e também do preço dos combustíveis, como diesel e gasolina.

Além disso, o dólar tem impacto direto sobre o preço dos carros, chegando a afetar em até 70% o valor total do produto final. Considerando que o dólar teve aumento de 20% desde 2020, é de se esperar um aumento no valor dos veículos. A inflação também tem sua parcela de culpa, está acontecendo no mundo todo e virando uma bola de neve, gerando mais aumento em toda a cadeia produtiva e impactando no preço dos combustíveis.

Frete marítimo, impostos e demanda de seminovos também são culpados

No Brasil, os carros possuem 5 impostos diretamente relacionados:

  • Imposto sobre Operações relativas à Circulação de Mercadorias (ICMS);
  • Impostos Sobre Produtos Industrializados (IPI);
  • Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (COFINS);
  • Programa de Integração Social (PIS);
  • Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA).

Todos esses impostos conseguem elevar o preço do carro entre 30 e 49%.

O frete marítimo também é considerado, uma vez que é usado para transporte de peças que vão compor os carros e muitas embarcações são diretamente afetadas pelos preços dos combustíveis, como o diesel. Desde 2020, o frete marítimo teve uma alta de 5,7 vezes, trazendo o custo de produção para o bolso do consumidor.

Por fim, a demanda de seminovos fecha a cúpula dos motivos do aumento dos preços dos carros. A demanda de seminovos aumentou porque o preço dos carros 0 Km está muito acima do que o brasileiro deseja pagar em um carro. Por conseguinte, o valor dos seminovos aumenta também, seguindo a lógica de oferta e demanda do mercado. E como os veículos de concessionária não podem ficar mais baratos que os seminovos, o preço deles aumenta junto.

Todavia, enquanto a situação dos fatores externos não melhorar, a tendência é de que os valores continuem a aumentar.

Curtiu? Apoie nosso trabalho seguindo nossas redes sociais e tenha acesso a conteúdos exclusivos. Não esqueça de comentar e compartilhar.
Facebook Facebook
Twitter Twitter
LinkedIn LinkedIn
YouTube YouTube
Instagram Instagram
Telegram Telegram
Google News Google News

Relacionados
Mais recentes