Uso de energia solar fotovoltaica em residências crescem 2.000% no Brasil

Roberta Souza
por
-
13-10-2021 14:21:16
em Energia Renovável
Energia - energia solar Energia solar residencial/ Fonte: G1-Globo

Os dados do uso de energia solar em residências foram divulgados pelo secretário de Planejamento e Desenvolvimento Energético do MME

O Brasil tem uma das matrizes energéticas mais renováveis do mundo. Cerca de 48% dela é composta de fontes renováveis. A média mundial está em 14%. Os dados foram apresentados pelo Secretário de Planejamento e Desenvolvimento Energético do Ministério de Minas e Energia (MME), Paulo César Domingues, durante o programa Brasil em Pauta, que foi ao ar no dia 10. Segundo ele, quando se fala em eletricidade, os números são ainda maiores: 85% da matriz de eletricidade brasileira são renováveis contra apenas 20% da média mundial. Leia ainda esta notícia: Em leilão da Aneel, novos projetos de energia solar no Ceará receberão investimentos de R$ 418 milhões

Diversificação da matriz com o uso de fontes renováveis

Acrescentou que, apesar do Brasil ainda ser muito dependente de hidrelétricas (85% de energia elétrica têm fonte hídrica), o país vem diversificando a matriz. No que se refere a energia solar, o Brasil já tem 10 gigawatts de capacidade instalada. “Isso equivale a 70% da capacidade instalada de Itaipu”, disse. De acordo com Domingues, em três anos houve um aumento de 200% na energia solar centralizada (usinas solares). Já quando se fala em energia solar distribuída (painéis em telhados) o crescimento é de 2.000%.

Outra fonte de energia que vem crescendo no Brasil é a eólica. Já são mais de 700 usinas instaladas em todo o país. Hoje, a energia proveniente dos ventos é responsável por 11% da matriz energética brasileira.

Confira ainda: Com a criação de 1.500 empregos e investimentos de R$ 2 bilhões, nova usina de energia solar será construída na Paraíba

O governador da Paraíba João Azevêdo irá autorizar a instalação de usina de energia solar fotovoltaica, no município de Santa Luzia, Sertão da Paraíba. De acordo com o gestor, o Complexo Solar Santa Luzia, que será operacionalizado pelo grupo Rio Alto, nos municípios de Santa Luzia e São Mamede. Serão investidos mais de R$ 2 bilhões e mais de 1.500 empregos diretos e indiretos, serão criados com o empreendimento.

João diz que o empreendimento irá movimentar, inicialmente, R$ 2 bilhões e gerar mais de 1.500 empregos diretos e indiretos. “Estaremos produzindo energia limpa e renovável em breve, para que possamos economizar a água e gerar ainda mais empregos”, ressalta o governador da Paraíba, sobre a construção da nova usina de energia solar fotovoltaica no estado.

A alternativa de energia limpa e renovável é a solução para a crise energética que o país enfrenta com a seca. “Especialmente porque a matriz energética brasileira depende de hidrelétricas, cuja produção cai em períodos de seca. Isso ocasiona aumentos frequentes no preço da eletricidade. Implantar os novos parques de energia solar e os parques eólicos é o que vai salvar o país da crise de energia que hoje nós vivemos”, destacou sobre a usina de energia solar.

O Complexo Solar Santa Luzia será constituído por 28 usinas solares fotovoltaicas de 58MWp, totalizando 1,625GW de capacidade, em uma área de 1,7 mil hectares, nas cidades de Santa Luzia e São Mamede. De acordo com o grupo Rio Alto, serão instaladas 1,3 milhão de placas solares, 10,8 mil trackers e 3,7mil string inverts. A previsão é de que as obras dos parques sejam entregues em janeiro de 2023.

Tags:
Roberta Souza
Engenheira de Petróleo, pós-graduanda em Comissionamento de Unidades Industriais, especialista em Corrosão Industrial. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal. Não recebemos currículos
fwefwefwefwefwe