Início Tesla, multinacional de carros elétricos, vai falir? Falas de Elon Musk podem ser “manipulação” para ações da empresa caírem e bilionário comprar mais partes a preços baixos. Técnica “share buy back” foi utilizada por ele com criptomoedas

Tesla, multinacional de carros elétricos, vai falir? Falas de Elon Musk podem ser “manipulação” para ações da empresa caírem e bilionário comprar mais partes a preços baixos. Técnica “share buy back” foi utilizada por ele com criptomoedas

27 de junho de 2022 às 05:35
Compartilhe
Siga-nos no Google News
Tesla, multinacional de carros elétricos, vai falir? Falas de Elon Musk podem ser "manipulação" para ações da empresa caírem e bilionário comprar mais partes a preços baixos. Técnica "share buy back" foi utilizada por ele com criptomoedas - Canva
Elon Musk é dono da Tesla – Canva

Elon Musk, bilionário e dono da multinacional de carros elétricos Tesla, havia se manifestado, durante o mês de junho, a favor da demissão de ao menos 10% dos funcionários de sua empresa para automatizar o caixa, que vem sofrendo “queda de faturamento” devido à falta de estoque de lítio no mercado, essencial para a fabricação de seus produtos. O vazamento sobre as demissões teria acontecido por intermédio de um e-mail corporativo compartilhado pela Reuters. 

De acordo com alguns analistas, Elon Musk pode estar manipulando as ações da Tesla para que caiam, mesmo que seja o dono. O bilionário estaria tomando a atitude de vazar propositalmente e declarar notícias negativas sobre o setor de carros elétricos a  fim das ações caírem e ele conseguir comprar uma parte novamente. Com a compra no valor mais baixo, é possível vender no topo e ter um retorno ainda maior sobre as suas aplicações. Uma estratégia semelhante,  chamada pelo setor de investimentos de “share buy back”, também foi aplicada pelo bilionário durante o ano de 2021 para a compra de criptomoedas, principalmente do dogcoin e Bitcoin.

Em suas redes sociais, principalmente no Twitter, ele se manifestou inúmeras vezes sobre o seu pensamento negativo em relação aos ativos e os comprava / manifestava-se a favor logo depois, para eles subirem após cair e fosse possível vender com o melhor retorno. Apesar de não ter sido afirmado pelo empresário, estima-se que ele esteve por trás das grandes quedas do BTC em apenas um dia, que já chegaram a mais de 20%. Agora, o ativo vem sendo contado com queda acima de 75%, a apenas R$ 100 mil após ter chegado ao seu valor mais alto de R$ 380 mil. 

Artigos recomendados

O que faz com que analistas acreditem que o dono da Tesla, Elon Musk, está praticando “share buy back”? 

O que é a recompra de ações e como é praticada? Fonte: CNBC

No começo do mês de junho, vazou um e-mail corporativo que Elon Musk teria enviado para os seus colaboradores afirmando que as contratações para  a instituição deveriam ser pausadas para haver uma retomada da empresa para o setor produtividade carros elétricos. 

Segundo o bilionário, o setor automotivo não vem se mostrando tão positivo, visto que há a diminuição na fabricação de lítio, o que faz com que o preço das baterias façam com que os carros se tornem ainda mais caros. No Brasil, outro fator que vem piorando a situação para  transição energética dos automóveis é sobre o preço do dólar, que voltou a subir para mais de R$ 5 mesmo que a taxa Selic em dois dígitos pelo Ministério da Economia e o Banco Central. 

Tesla: O que é a técnica “share buy back” e como ela é aplicada nos investimentos e economia? 

Essa técnica nada mais é do que a recompra de uma ação ou ativo. Uma empresa pode vender, durante um momento de crise, as suas ações de modo a pagar alguma dívida pública federal. No entanto, após analisar que estão em constante crescimento e as ações tendem a valorizar, é comum que a instituição tenha interesse em efetuar a recompra de modo a ter poder de voz majoritário sobre as suas decisões. 

No entanto, o interesse de recompra pode surgir somente quando as ações já estão em seu maior valor. Tendo isso em vista, alguns bilionários e empresários tendem a usar técnicas para fazer com que as ações caiam apenas por um curto prazo, ou seja, ao informar faturamento menor que o previsto e demissões. Depois que elas caem, compram e voltam a anunciar as boas notícias para mostrar retorno no crescimento e valorização.

Curtiu? Apoie nosso trabalho seguindo nossas redes sociais e tenha acesso a conteúdos exclusivos. Não esqueça de comentar e compartilhar.
Facebook Facebook
Twitter Twitter
LinkedIn LinkedIn
YouTube YouTube
Instagram Instagram
Telegram Telegram
Google News Google News

Relacionados
Mais recentes