Preço vai cair? Gerente da Petrobras não vê um cenário positivo para queda do preço dos combustíveis a curto prazo

Fábio Lucas
por
-
24-10-2021 15:28:12
em Petróleo, Óleo e Gás
combustível, preço da gasolina, preço do etanol, RN, Rio Grande do Norte (Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Preço médio dos combustíveis deve continuar elevado. A Petrobras não prevê para um curto espaço de tempo a redução do preço do barril de petróleo no mercado internacional

Os preços dos combustíveis não param de aumentar, afetando diretamente a vida dos brasileiros de todas as situações sociais. Somente entre os meses de janeiro e setembro, o preço da gasolina aumentou 28%, enquanto o diesel subiu nada menos que 32%. Mesmo com a situação tão complicada, a Petrobras ainda não vê uma redução em um futuro próximo.  

Segundo Sandro Barreto, gerente-geral de Comercialização no Mercado Interno da Petrobras, a tendência é que se mantenha a tendência de alta nos preços dos combustíveis devido as flutuações do preço do barril de petróleo no mercado internacional.

Vídeo: Petrobras comenta sobre o aumento dos combustíveis em 25/10/2021

Petrobras anuncia reajuste de preços de gasolina e diesel vendidos a refinarias | LIVE CNN

Na última quinta-feira, na comissão de defesa do Consumidor na Câmara dos Deputados, Sandro Barreto explicou que a chegada do inverno no Hemisfério Norte, aliado a aceleração da produção global com a reta final da pandemia, aumenta a demanda pelo petróleo em todo o mundo. 

Enquanto isso, Bruno Caselli, coordenador de Defesa da Concorrência da Agência Nacional do Petróleo (ANP), disse que o aumento de mais de 28% do preço do etanol nos últimos seis meses está relacionado a decisão das indústrias em fabricar açúcar ou álcool. Contudo, ele também destacou que o preço está refletindo o aumento global de todos os produtos do setor de energia.  

Petrobras justifica preço dos combustíveis elevado

A Petrobras recebe críticas por conta do preço da gasolina em todo o país. Barreto afirmou que apenas R$ 2,18 do preço médio da gasolina no país, que é R$ 6,32, é referente a estatal. Impostos estaduais e federais correspondem a R$ 2,40, distribuidores e revendedores, R$ 0,69, e o anidro com R$ 1,06. 

O mercado de commodities é extremamente volátil, nervoso. Taxa de câmbio também tem uma variação bastante intensa, às vezes de um dia para o outro. E o que a Petrobras busca na sua política de preços é justamente evitar o repasse dessa volatilidade imediata para a sua precificação no mercado brasileiro”, completou Barreto em referência a política de preço da Petrobras.  

Tags:
Fábio Lucas
Jornalista brasileiro, amo esportes, notícias e política. Já contribui em diversos outros portais relacionados a esportes, economia e informações regionais.
fwefwefwefwefwe