Petrobras vende sua participação na Eólica Mangue Seco 1 por R$ 44 milhões, no Rio Grande do Norte

Petrobras, eólica, Rio Grande do Norte Parque eólico/ Fonte: The One Brief




Por R$ 44 milhões, a Petrobras vendeu sua participação de 49% da Sociedade Eólica Mangue Seco 1, localizada no estado do Rio Grande do Norte

A Petrobras vendeu ao fundo de investimento V2I sua participação de 49% na Eólica Mangue Seco 1 por R$ 44 milhões. O complexo, localizado em Guamaré, no Rio Grande do Norte, tem capacidade instalada total de 26 MW e faz parte dos quatro parques eólicos que se localizam na região.

A venda da participação do complexo eólico da Petrobras

A Petrobras informou que a transação da venda da Eólica Mangue Seco 1 foi concluída por R$ 44 milhões e foram pagos os ajustes estipulados no contrato de compra e venda de ações. Este negócio está em linha com a estratégia de otimização da carteira de investimentos e melhoria da alocação de capital da empresa, visando trazer o máximo valor aos acionistas.

Durante o processo de desinvestimento, a Petrobras deve realmente deixar o Rio Grande do Norte, pois em nota em agosto de 2020, a Petrobras informou que além da estrutura de logística e de petróleo, também anunciou que abriria mão de suas áreas de exploração onshore.

Em fevereiro, a Petrobras divulgou que assinou contrato de venda de sua participação de 51% no parque eólico Mangue Seco 2 para o fundo de investimentos Multiestratégia Pirineus, pelo valor de R $ 32,97 milhões.

O Complexo Eólico no Rio Grande do Norte

Os três parques já vendidos fazem parte de um complexo de quatro empreendimentos – Mangue Seco 1, Mangue Seco 2, Mangue Seco 3 e Mangue Seco 4, localizados em Guamaré, no Rio Grande do Norte. Eles possuem capacidade instalada total de 104 MW. Já a Eólica Mangue Seco 1 possui e opera um parque eólico com capacidade de 26 MW.

Sobre a empresa que adquiriu participações da Petrobras

A Vinci é uma sociedade limitada responsável pela gestão dos fundos de infraestrutura do Grupo Vinci Partners, por isso se denomina Vinci Infraestrutura Gestora de Recursos Ltda. E sua subsidiária (Grupo Vinci), administra atualmente mais de 47 bilhões de reais. O Grupo Vinci foi fundado em 2009 e possui 226 funcionários, incluindo 33 sócios, com escritórios no Rio de Janeiro, São Paulo, Recife e Nova York.

O Grupo Vinci tem investido em diversos campos econômicos, entre os quais destacamos Equatorial Energia SA, Light, LEST, Água Vermelha Transmissora, Arcoverde Transmissão de Energia, Transmissora Porto Alegrense de Energia, Grupo Los Grobo, Austral, Unidas, Burger King entre outros.

Confira outra notícia sobre a Petrobras:

Dois indicados ao conselho da Petrobras foram considerados inaptos a assumir o cargo na estatal

O conselho de administração da Petrobras não aprovou a nomeação de 2 dos 11 candidatos para o comitê da empresa estatal. Esses candidatos são considerados incapazes de ocupar cargos em empresas que tenham relacionamento direto com a Petrobras nos últimos três anos. A avaliação é composta pelo comitê de pessoas e é composto por aqueles que fazem parte dos membros do colegiado e especialistas independentes. Se eleitos, os dois candidatos assumirão o cargo junto aos acionistas, o que será aprovado nesta segunda-feira, 12, em assembleia.

Além de negar os nomes de Márcio Andrade Weber e de Pedro Rodriguez Galvão de Medeiros, a comissão também apresentou uma série de pareceres sobre outros candidatos. As únicas pessoas que podem passar na lista de avaliadores é o atual presidente do conselho de administração da empresa Eduardo Bacellar Leal Ferreira, Cynthia Santana Silveira, Murilo Marroquim e Leonardo Antonelli, que hoje têm assento minoritário no colegiado e pode se candidatar a reeleição. Confira a matéria na íntegra clicando aqui.

Tags:
Roberta Souza
Engenheira de Petróleo, pós-graduanda em Comissionamento de Unidades Industriais, especialista em Corrosão Industrial. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal. Não recebemos currículos