Petrobras fecha contrato com a TechnipFMC e Dof Subsea, para fretamento e serviços de longo prazo por navios de apoio

Roberta Souza
por
-
03-09-2021 18:34:20
em Economia, Negócios e Política
Petrobras – navios Skandi Vitória/ Fonte: DOF Group

A Petrobras contratou os navios Skandi Vitória e Skandi Niterói. O início das operações das embarcações está previsto para fevereiro de 2022.

A petrobras fechou contrato com a Dofcon Navegação, uma joint venture 50/50 entre TechnipFMC e a DOF Subsea, para fretamento e serviços de longo prazo para os navios de apoio offshore Skandi Vitória e Skandi Niterói. Cada contrato é de três anos, com opção de prorrogação e o início das operações está previsto para fevereiro de 2022. Veja ainda: FPSO Carioca, afretado pela Petrobras, inicia produção de óleo e gás no campo de Sépia, no pré-sal da Bacia de Santos

Atuação das embarcações contratadas pela Petrobras

Segundo o site Portos e Navios, a embarcação Skandi Niterói operará principalmente em águas rasas, enquanto o Skandi Vitória atuará em águas rasas e profundas. Ambos os navios realizarão trabalhos de descomissionamento e instalação submarina.

Jonathan Landes, presidente Submarino da TechnipFMC, comentou: “Nossas embarcações servem como um componente importante do forte ecossistema de dutos flexíveis que temos no Brasil. Temos orgulho de estender nosso relacionamento de várias décadas com a Petrobras por meio desses contratos de longo prazo, que são construídos em estreita colaboração e na confiança de nossos clientes em nossa capacidade de entregar qualidade com segurança e eficiência”.

Anteriormente, a estatal havia já fechado novos contratos de embarcações submarinas

A Petrobras e a Seabras Sapura assinaram um contrato no último dia 23 para o afretamento do PLSV Sapura Diamante, pelo período de 1.275 dias. O contrato pela contratação da embarcação de acordo com o site Petróleo Hoje, está avaliado em US$ 199 milhões, deverá ser iniciado no próximo dia 15, com término previsto para o dia 13 de março de 2025, segundo o comunicado da Seadrill.

O Sapura Topazio da Sapura, o Submarino 7 ‘s Seven Waves, o Seven Sun e o Seven Rio também deverão ser contratados, assim como o Top Coral do Atlântico da TechnipFMC e quatro outras embarcações ainda a serem definidas. Os contratos são válidos por três anos, prorrogáveis ​​por mais um ano. A maioria dos negócios da Petrobras envolveu prorrogações de contrato, exceto Skandi Vitória, Skandi Niterói, Sapura Diamante e Sapura Topázio, que não foram contratadas anteriormente.

Leia ainda esta notícia: Petrobras contrata serviços de engenharia para descomissionamento dos sistemas submarinos de três FPSOs

A Petrobras lançou licitação para contratar serviços de engenharia, preparação, remoção e descarte (EPRD), que serão destinados para descomissionar às estruturas submarinas remanescentes dos FPSOs Cidade do Rio de Janeiro, Cidade de Rio das Ostras e Piranema, já desmobilizados de projetos das bacias de Campos e de Sergipe-Alagoas, respectivamente.

De acordo com o site Petronotícias, no dia 13 de outubro, a Petrobras irá abrir os envelopes com as propostas das empresas licitantes. A licitação, com abrangência nacional, acontecerá no modo de disputa aberto e o início da competição de preços será no dia 14 de outubro. Além dos serviços de engenharia, preparação, remoção e descarte, a licitação da Petrobras também vai contratar as atividades de alienação, na condição de sucata, dos materiais provenientes de portos dos sistemas submarinos pertencentes aos três FPSOs. O critério de julgamento da licitação será a melhor combinação, com menor preço para a Petrobrás, levando em conta a diferença entre o valor das propostas do contrato de prestação de serviços de EPRD e o valor da proposta do contrato de alienação.

Segundo o site Petronotícias, o sistema do FPSO Rio de Janeiro, da Petrobras, que produzia no campo de Espadarte, na Bacia de Campos, o trabalho da futura contratada envolverá o descomissionamento de 10 poços e 132 km de linhas flexíveis. Com relação aos equipamentos submarinos do FPSO Piranema, que produzia em campo de mesmo nome, em Sergipe-Alagoas, as atividades abrangerão nove poços e o recolhimento de 120 km de dutos e risers flexíveis. Por fim, no FPSO Rio das Ostras, anteriormente instalado nos Campos de Tartaruga Verde, Tartaruga Mestiça e Espadarte, o trabalho envolverá dois poços e 21,1 km de linhas flexíveis.

Tags:
Roberta Souza
Engenheira de Petróleo, pós-graduanda em Comissionamento de Unidades Industriais, especialista em Corrosão Industrial. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal. Não recebemos currículos
fwefwefwefwefwe