Para amenizar alta da conta de luz, Brasil está fechando negócios com a Bolívia, Argentina e Peru para construção de novas usinas hidrelétricas e investimentos em fontes renováveis

Valdemar Medeiros
por
-
29-11-2021 13:17:41
em Economia, Negócios e Política
conta de luz - Bolivia-Argentina-e-Peru - hidrelétricas - fontes renováveis - usinas hidrelétricas Investimentos devem somar mais de bilhões para reestruturar indústria energética – (Fotomontagem Eletron Energia)

Durante a 56ª edição da Reunião de Altos Executivos da Comissão de Integração Energética (CIER), Brasil está expandindo a integração energética com a Bolívia, Peru e Argentina

Com a alta da conta de luz, o Brasil está expandindo a integração energética entre os parceiros na América do Sul. Durante a 56ª edição da Reunião de Altos Executivos da Comissão de Integração Energética (CIER), que ocorreu no Panamá, o Bracier, comitê brasileiro, que é representado pelo diretor-geral da Itaipu Binacional, João Francisco Ferreira, assinou três Declarações Conjuntas de Colaboração para incentivar a integração energética regional com representantes de alto nível da Argentina, Peru e Bolívia. O acordo também será focado na realização de investimentos em fontes renováveis e em novas usinas hidrelétricas.

Leia também

Brasil busca investimentos para diminuir o preço da conta de luz dos consumidores

As declarações para amenizar o valor da conta de luz e trazer investimentos em fontes renováveis mostram as intenções de gerar esforços conjuntos nos aspectos técnicos, regulatórios regionais e econômicos, além da consecução de grandes investimentos em projetos bilaterais.

O grupo de alto nível formado durante as Declarações Conjuntas, funcionarão também como um fórum de consulta e orientação sobre aspectos voltados ao andamento e à análise das atividades, direcionando novos estudos demandados.

Outro detalhe importante, foi reafirmar o compromisso com a integração e o desenvolvimento energético regional, considerando este ponto com um forte instrumento para o desenvolvimento econômico e sustentável dos países, além do bem estar da sociedade.

Novas usinas hidrelétricas e fontes renováveis no Brasil

Com a Bolívia, há estudos para investimentos em uma nova usina hidrelétrica binacional, situada no Rio Mamoré, acima do Município de Guajará-Mirim, no Estado de Rondônia, contando com a experiência de Itaipu e também possibilidades de interconexão dos estados de Mato grosso e Mato Grosso do Sul com o país vizinho, e também análises se é viável realizar intercâmbios entre o Brasil e a Bolívia, por meio da Argentina.

Em relação a Argentina, há um estudo para se instalar duas usinas hidrelétricas no rio Uruguai: os projetos Panambi e Garabi, que trarão ao Brasil e à Argentina eletricidade gerada por meio de fontes renováveis, além de solidificar a integração de energia entre os dois países.

Países envolvidos demonstram uma parceria sólida para investimentos em energias renováveis

Tanto para o diretor técnico executivo da binacional, Celso Torino, quanto para o diretor geral brasileiro de Itaipu, João Francisco Ferreira, as tratativas demonstram uma parceira sólida para a soberania e desenvolvimento dos países envolvidos.

O Brasil dá mais um grande passo para novas parcerias que trarão investimentos e usinas hidrelétricas que diminuirão o valor da conta de luz e em breve devem se tornar algo concreto para que os países possam ter mais cooperação no âmbito energético garantido, trazendo uma maior segurança elétrica para todos, através da irmandade que rege as relações.

Vale ressaltar que a CIER, é uma organização internacional sem nenhum fim lucrativo e de duração ilimitada, que é reconhecida pelo governo e reúne organizações e empresas do setor de energia dos países membros, assim como entidades relacionadas e membros associados. A missão da CIER é favorecer e promover a integração do setor de energia da região através da cooperação conjunta de seus associados.

Sites Parceiros

Publicidade




Tags:
Valdemar Medeiros
Especialista em marketing de conteúdo, ações de SEO e E-mail marketing. E nas horas vagas Universitário de Publicidade e Propaganda.