Multinacional BP reduz 40% da produção de combustíveis fósseis até 2030

Roberta Souza
por
-
05-08-2020 10:40:13
em Petróleo, Óleo e Gás
bp, petróleo, Multinacional BP reduz 40% da produção de combustíveis fósseis até 2030 Após perdas recordes no segundo trimestre de 2020 e o primeiro corte de dividendos em uma década, a BP revelou partes de sua nova estratégia que remodelaria a empresa de uma empresa internacional de petróleo para uma empresa integrada de energia

Após perdas recordes no segundo trimestre de 2020 e o primeiro corte de dividendos em uma década, a BP revelou partes de sua nova estratégia que remodelaria a empresa de uma empresa internacional de petróleo para uma empresa integrada de energia

A BP disse ontem que pretende aumentar em dez vezes seu investimento anual em baixo carbono para cerca de US$ 5 bilhões por ano até 2030. Ela estará “construindo um portfólio integrado de tecnologias de baixo carbono, incluindo renováveis, bioenergia e posições iniciais em hidrogênio e CCUS”. A empresa pretende desenvolver em torno de 50GW de capacidade líquida de geração renovável até o final da década – um aumento de 20 vezes em relação a 2019 – e dobrar suas interações com os consumidores para 20 milhões por dia.

Confira outras notícias:

Durante o mesmo período, a BP planeja reduzir a produção de petróleo e gás em pelo menos um milhão de barris de óleo equivalente por dia, ou 40% em relação aos níveis de 2019. A empresa espera que seu portfólio restante de hidrocarbonetos seja mais econômico e resiliente ao carbono.

A produção de petróleo e gás a montante deverá reduzir de 2,6 mm boepd em 2019 para cerca de 1,5 mm boepd, enquanto a taxa de transferência de refino deverá cair de 1,7 mm bpd em 2019 para cerca de 1,2 mm bpd. A empresa também enfatizou a conclusão de grandes projetos em andamento e a interrupção da exploração em países onde ainda não possui atividades a montante.

Ele observou que considera sua participação de 19,75% na Rosneft como parte fundamental de seu portfólio mais amplo e que fornece à BP uma forte posição na Rússia. Além disso, a BP visa que as emissões de suas operações e as associadas ao carbono em sua produção de petróleo e gás a montante sejam reduzidas em 30-35% e 35-40%, respectivamente, até 2030.

Helge Lund, presidente da BP, disse: “Os mercados de energia estão mudando fundamentalmente, mudando para baixo carbono, impulsionados pelas expectativas da sociedade, tecnologia e mudanças nas preferências do consumidor.

“E nesses mercados em transformação, a BP pode competir e criar valor, com base em nossas habilidades, experiência e relacionamentos. Estamos confiantes de que as decisões que tomamos e a estratégia que estamos definindo hoje são adequadas para a BP, para nossos acionistas e para a sociedade em geral.”

Bernard Looney, CEO da BP, disse:

“A BP é uma empresa internacional de petróleo há mais de um século – definida por duas commodities principais produzidas por duas empresas principais. Agora, estamos girando para nos tornar uma empresa integrada de energia – do COI à IEC. Desde uma empresa impulsionada pela produção de recursos até uma focada em fornecer soluções de energia para os clientes.”

“Acreditamos que nossa nova estratégia fornece uma abordagem abrangente e coerente para transformar nossa ambição sem valor líquido em ação. A próxima década é crítica para o mundo na luta contra as mudanças climáticas, e impulsionar a mudança necessária nos sistemas globais de energia exigirá ação de todos.”

“Portanto, nos próximos anos, a BP ampliará significativamente nosso negócio de energia de baixo carbono e transformará nossas ofertas de mobilidade e conveniência. Vamos focar e reduzir nosso portfólio de petróleo, gás e refino. E, à medida que reduzimos as emissões em nossa rota para zero líquido, estamos comprometidos em continuar a fornecer valor a longo prazo para nossos stakeholders.”

“Trazemos conosco mais de 100 anos de experiência mergulhados no mundo da energia. Entendemos profundamente os mercados de energia e desenvolvemos capacidades únicas em comércio, marketing, tecnologia e inovação”.

Algumas outras metas estabelecidas na estratégia incluem a produção de bioenergia, passando de 22.000 b / d para mais de 100.000 b / d, seu negócio de hidrogênio cresceu para ter 10% de participação nos principais mercados, pontos de carregamento de veículos elétricos aumentaram de 7.500 para mais de 70.000 e parcerias de energia com 10 a 15 grandes cidades do mundo e três principais setores. Tudo isso até o final da década.

Vale ressaltar que a BP não divulgou toda a estratégia na terça-feira. A empresa informou que fornecerá mais detalhes sobre sua estratégia, planos de negócios e proposição de investidores nas apresentações do dia do mercado de capitais de 14 a 16 de setembro.

Tags:
Roberta Souza
Engenheira de Petróleo, pós-graduanda em Comissionamento de Unidades Industriais, especialista em Corrosão Industrial. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal. Não recebemos currículos