Mato Grosso fecha contrato com estatal da Bolívia para fornecer gás natural por 5 anos

Roberta Souza
por
-
02-06-2021 16:30:41
em Economia, Negócios e Política
Gás natural – Mato Grosso – Bolívia Tubulações de gás natural/ Fonte: Sindipetro-Sp

O contrato para fornecimento de gás natural foi assinado ontem entre o governador do Mato Grosso e a empresa da Bolívia, Yacimentos Petroliferos

Ontem, o governador do estado do Mato Grosso, Mauro Mendes, assinou o novo contrato firme para fornecimento de gás natural da Bolívia para o estado. O contrato terá vigência de cinco anos, a partir de janeiro de 2022, e pode ser prorrogado para mais cinco. A assinatura ocorreu em Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia, junto à empresa estatal Yacimentos Petroliferos Fiscales Bolivianos (YPFB), representada pelo seu presidente Wilson Zelaya. Veja ainda: Petrobras autorizada pelo MME a importar gás natural da Bolívia

Assinatura de contrato para fornecimento de gás natural ao Mato Grosso

Estiveram no ato da assinatura de contrato o ministro de Hidrocarburos y Energías da Bolívia, Franklin Molina; o vice-ministro de Hidrocarburos y Energías, Luis Alberto Poma Calle; o vice-governador Otaviano Pivetta; os secretários do estado do Mato Grosso, Mauro Carvalho (Casa Civil), Rogério Gallo (Fazenda) e César Miranda (Desenvolvimento Econômico); o presidente da Companhia Mato-Grossense de Gás (MT Gás), Rafael Reis e o diretor administrativo e financeiro da MT Gás, Toco Palma.

O governador do Mato Grosso diz que é a primeira vez, depois de mais de uma década, que o gás chegou em Mato Grosso. Ele ressalta que nunca tiveram um contrato firme, ininterrupto, de fornecimento de gás natural. “Uma hora tinha, outra hora não tinha”, afirma Mendes, e isso acabou fazendo perder a confiança nessa matriz energética.

Beneficiamento de setores do Mato Grosso

Mauro Mendes ainda diz que, com isso, irão expandir no Distrito Industrial e também outros projetos que vão permitir que o gás chegue em outros municípios. O gás natural é uma matriz energética importante, que nesse momento, traz muita economicidade para aqueles que utilizam veículos dessa matriz e também para as indústrias, diz o governador.

O fornecimento de gás natural vai trazer inúmeros benefícios a Mato Grosso, e um deles abrange a classe de motoristas, especialmente os de aplicativo, pois o gás natural gera uma economia estimada entre 30% e 38% em relação ao diesel, cerca de 50% em relação ao etanol, e de 30% na gasolina, diz Mauro. 

O governador do Mato Grosso ainda ressalta que muitas pessoas converteram seus veículos para gás e depois não houve fornecimento, e isso frustrou, trouxe prejuízo, mas agora resolveram esse problema. Esse contrato vai trazer economia ao cidadão que já converteu e para aqueles que deverão converter seus veículos para o gás natural, concluí Mauro.

Vantagens ao estado do Mato Grosso com o fornecimento de gás natural da Bolívia

Conforme o secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, César Miranda, o contrato permite que Mato Grosso receba até 3,5 milhões de m³ de gás natural ao mês durante o ano de 2022 e, nos anos seguintes, pode chegar até 6,5 milhões de m³ até 2027. Miranda diz que com esse volume garantido, o gás natural passa a ser uma alternativa para as indústrias do Mato Grosso, pois, com a devida canalização, o gás se torna uma opção mais barata que a energia elétrica, queima de lenha e gás de cozinha.

O presidente da MT Gás, Rafael Reis, pontuou que além de todos os benefícios já citados, o gás natural é uma matriz de energia que não polui o meio ambiente. O gestor relatou que o contrato vai permitir que a MT Gás intensifique os programas para incentivar os consumidores a aderirem ao “kit gás”.

Rafael diz que esse contrato com a Bolívia vai garantir o abastecimento do GNC (Gás Natural Comprimido), que o tem hoje, para os caminhões híbridos GNV-Diesel e para o gasoduto industrial, porque antes não se tinha volume suficiente para atendê-los. Ele ressalta que é uma garantia longa de atendimento e dá mais segurança para quem for converter seus carros para o gás natural.

Tags:
Roberta Souza
Engenheira de Petróleo, pós-graduanda em Comissionamento de Unidades Industriais, especialista em Corrosão Industrial. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal. Não recebemos currículos