Governo da Alemanha pretende investir 9 bilhões de euros para desenvolver combustível com uso de amônia e metanol

Roberta Souza
por
-
06-11-2020 15:40:52
em Economia, Negócios e Política
Combustível, Alemanha Combustível a base de amônia

Alemanha faz teste com amônia para obter combustível verde. Ação faz parte do plano da Europa em reduzir emissões a zero

Governo da Alemanha está estudando o uso de amônia e metanol como uma forma de fornecer hidrogênio à indústria como combustível limpo. Governo pretende investir 9 bilhões de euros no desenvolvimento. Isso faz parte do maior plano econômico da Europa para reduzir suas emissões a zero até 2050.

Confira ainda outras notícias do dia:

O governo financiou um estudo de viabilidade para avaliar os meios de transporte do hidrogênio e focou nos dois componentes químicos como possíveis soluções.

Stefan Kaufmann, membro do Parlamento alemão responsável pela coordenação do uso de hidrogênio verde na Alemanha, diz que “Opções de transporte seguro e econômico são cruciais para estabelecer uma economia global de hidrogênio. “Temos a vantagem de poder aproveitar uma infraestrutura global existente que está em uso há décadas.”

O plano do governo é investir 9 bilhões de euros para desenvolver hidrogênio para uso como combustíveis verdes, como aço e vidro, que exigem temperaturas acima de 1.000 graus Celsius. Atualmente, combustíveis fósseis poluentes, como carvão e gás natural, alimentam esses processos.

Ter como opção o hidrogênio traz seus próprios desafios. É difícil transportar um grande número dos componentes mais leves porque sua densidade é tão baixa que eles exigem contêineres volumosos ou condensam-nos para um transporte eficiente.

Outra opção é a amônia – um composto formado a partir de um átomo de nitrogênio e três átomos de hidrogênio. O hidrogênio pode ser convertido em amônia líquida e vice-versa, podendo ser transportado ao redor do planeta.

A amônia com um teor de 17,6% de hidrogênio em peso é a forma mais barata de transportar hidrogênio a bordo. Atualmente, o composto é produzido em fábricas movidas a combustíveis fósseis, sendo um componente chave dos fertilizantes agrícolas.

Tags:
Roberta Souza
Engenheira de Petróleo, pós-graduanda em Comissionamento de Unidades Industriais, especialista em Corrosão Industrial. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal. Não recebemos currículos