Estado do Ceará mantém negociações para construção de 16 usinas de hidrogênio verde.

Roberta Souza
por
-
15-10-2021 15:55:37
em Energia Renovável
Ceará – usina – hidrogênio verde – construção Usina de hidrogênio verde/ Fonte: Evando Moreira

Além das 9 com protocolos assinados, o Ceará prevê fechar contrato com mais duas empresas, até o fim de outubro, e está em negociações para outras quatro usinas.

Ceará avança na captação de investimentos para exploração do potencial energético do hidrogênio verde no estado. Durante o Seminário Internacional de Hidrogênio Verde na manhã desta quinta-feira, 14 de outubro, foi revelado que as negociações envolvem a construção de 16 usinas de hidrogênio verde no estado. Confira ainda esta notícia: Estado do Ceará assinará mais 5 contratos de investimentos para o hub de hidrogênio verde

Atração de mais investimentos ao Ceará

Além das nove com protocolos assinados, governo do Ceará prevê fechar contrato com mais duas empresas até o fim de outubro e está em negociações para implementação de outras quatro usinas. As informações foram reveladas por Maia Jr. titular da Secretaria do Desenvolvimento Econômico e Trabalho do Ceará.

O representante do governo destacou ainda que o governador, Camilo Santana, assinará hoje, 15 de outubro, o décimo memorando de entendimento entre Estado e inciativa privada para construção de usinas de hidrogênio verde no Ceara. “O governador assinará mais dois ainda no fim do mês, em uma viagem que está prevista para o exterior e existem mais quatro projetos em negociação”, complementa

Maia reforça ainda que os novos investimentos terão impacto fundamental em todo sistema econômico do Estado. “Vai surgir uma plataforma de mobilidade nova, vai surgir uma indústria nova, um tipo de trabalho novo”, afirma

O Estado contém diversos projetos para construção de usinas de hidrogênio verde

Ao agradecer as empresas que estão alocando investimentos no Ceará, o secretário destacou que o ambiente de negócios cearense está se fortalecendo continuamente e que o Estado dará todo suporte para expansão e desenvolvimento mútuo da economia cearense e das empresas investidoras no Estado.

“Quero dizer a todos que acreditem na firmeza e na confiabilidade e na governança do Estado para implantar seus projetos em nosso estado. Quero garantir que não faltará regulamentações, quero garantir que não faltará capital humano. Não faltará infraestrutura, não faltará o ambiente de negócios facilitador para esses empreendimentos e para essas transformações no Ceará”, afirma.

De forma alinhada com o plano de desenvolvimento interconectado dos clusters econômicos, a implementação das usinas de hidrogênio verde no Ceará impactará toda cadeia produtiva. Assim, há uma forte articulação entre o hub de hidrogênio e o hub de energias renováveis, que irá suprir a demanda das usinas de hidrogênio para produção. Outro hub impulsionado será o de inovação tecnológica e o de educação. “Penso que esse momento vai mudar o nosso futuro, colocou Cândido Albuquerque, reitor da Universidade Federal do Ceará (UFC). Ele defende que o Estado ainda vai precisar desenvolver várias tecnologias ligadas ao hidrogênio verde, mas que as instituições educacionais daqui estão se preparando para esse desafio.

Leia ainda esta notícia: Construção de uma nova planta de hidrogênio verde no Ceará pode receber investimentos de quase R$ 4 bilhões

Uma nova planta de hidrogênio verde poderá ser construída no estado do Ceará pela Qair Brasil, pertencente ao grupo francês Qair. A construção do projeto está prevista para ser realizada em quatro etapas, entre 2023 e 2030. O empreendimento poderá receber investimentos de quase R$ 4 bilhões.

Gustavo Silva, diretor de operações da companhia no Brasil, diz que grande parte da energia necessária para a produção de hidrogênio verde será fornecida por parques eólicos e solares da própria empresa, instalados no estado do Ceará. O portfólio de projetos em energia renovável da Qair conta com 8.000 a 9.000 MW no estado, sendo 5.000 MW em eólicas e de 3.000 a 4.000 MW em solar. Desses, 210 MW já se encontram em operação e outros 600 MW estão em construção. O maior projeto é de uma eólica offshore em Acaraú, com capacidade inicial de 1.200 MW, podendo chegar a 2.400 MW, em parceria com a Vestas. O grupo francês pretende construir uma linha de transmissão ligando o parque até a usina de hidrogênio verde, no Porto do Pecém.

Tags:
Roberta Souza
Engenheira de Petróleo, pós-graduanda em Comissionamento de Unidades Industriais, especialista em Corrosão Industrial. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal. Não recebemos currículos
fwefwefwefwefwe