Início Enauta interrompe produção de poço no campo de Atlanta, na Bacia de Santos

Enauta interrompe produção de poço no campo de Atlanta, na Bacia de Santos

8 de setembro de 2021 às 13:33
Compartilhe
Siga-nos no Google News
Enauta – produção – Bacia de Santos
Embarcação no campo de Atlanta/ Fonte: epbr

A petroleira Enauta informou que, interrompeu no último domingo a produção de um dos poços do Campo de Atlanta, localizado na Bacia de Santos

No último domingo (06/09), a petroleira Enauta informou que foi interrompeu a produção de um dos poços do Campo de Atlanta, localizado na Bacia de Santos. De acordo com o fato relevante divulgado pela companhia na segunda, a companhia está avaliando as causas da interrupção. Investigações preliminares indicam falha no sistema de bombeio submarino. O retorno da produção deve ocorrer no primeiro trimestre de 2022. Leia ainda esta notícia: Petrobras da início à perfuração do primeiro poço de petróleo do bloco de Aram, no pré-sal da Bacia de Santos e aquece economia brasileira

Anteriormente, a Enauta havia divulgado que planejava produzir cerca de 20.000 barris de petróleo diariamente

Na quarta-feira (25/08), a petroleira Enauta informou que o Campo de Atlanta voltou a operar com todos os poços do Sistema de Produção Antecipada, após o fim dos consertos dos aquecedores. A companhia afirmou em nota que planeja produzir cerca de 20.000 barris de petróleo por dia com os três poços operando, após o período de estabilização. A estimativa poderá ser um recorde de produção diária da empresa.

Adicionalmente, atividades estão sendo realizadas para melhorar a capacidade de expansão do tratamento de água no FPSO Petrojarl I e, assim, aumentar a produção de barris de petróleo. A conclusão da primeira etapa projeta uma ampliação de 35% no volume de água tratada e está prevista para o final deste ano. A empresa ainda afirmou que, neste mês, deu início ao processo de licitação dos equipamentos e serviços precisos para que o quarto poço de petróleo seja perfurado, expandindo a capacidade de produção de barris de petróleo do Campo de Atlanta.

A empresa retoma operações dos poços de petróleo

Em junho, de acordo com a Enauta, a ANP aprovou para que a empresa assumisse 100% do Campo de Atlanta, com a missão de que a produção de barris de petróleo da empresa dobrasse.

De acordo com o CEO da Enauta, Décio Oddone, a transferência definitiva do Campo de Atlanta fez com que a empresa desse mais um passo importante para expandir a geração de caixa da companhia. Em julho, a empresa teve problemas com dois poços de petróleo. Uma semana depois, em um fato relevante, a empresa informou que um dos poços produtores do Campo de Atlanta, que apresentou falha no bombeio, voltou com suas operações, o que faz com que o Campo volte a contar com dois poços.

De acordo com a petroleira, na época, a produção de barris de petróleo retornou a um patamar maior que observado antes da paralisação, da ordem de 17 mil a 18 mil barris de petróleo por dia.

Leia ainda: Petroleira Enauta assina contratos milionários de concessão de blocos de petróleo e gás onshore adquiridos em dezembro

A petroleira Enauta informou em fato relevante, que assinou os contratos de concessão dos blocos de petróleo e gás arrematados no 2º Ciclo da Oferta Permanente da ANP, realizado em 4 de dezembro de 2020. A Companhia adquiriu 30% de participação em quatro blocos onshore PAR-T-86, PAR-T-99, PAR-T-196 e PAR-T-215, na Bacia do Paraná, em parceria com a Eneva.

A aquisição destes quatro blocos de petróleo onshore marca a entrada da Enauta na Bacia do Paraná, considerada área de fronteira pela baixa quantidade de atividades exploratórias já realizadas na região, permitindo que a petroleira esteja bem posicionada para captar novas possibilidades de negócios. “A Enauta aproveitou essa oportunidade para diversificar sua base de ativos”, disse a empresa.

De acordo com o comunicado, a Enauta prevê investimento da ordem de R$ 15 milhões em atividades exploratórias. Os blocos de petróleo onshore estão localizados nos estados do Mato Grosso do Sul e Goiás, com aproximadamente 11.544 km2 de extensão, área superior à de toda a tradicional Bacia do Recôncavo na Bahia.

Curtiu? Apoie nosso trabalho seguindo nossas redes sociais e tenha acesso a conteúdos exclusivos. Não esqueça de comentar e compartilhar.
Facebook Facebook
Twitter Twitter
LinkedIn LinkedIn
YouTube YouTube
Instagram Instagram
Telegram Telegram
Google News Google News

Relacionados
Mais recentes