Empresas se juntam e pretendem construir navio movido a amônia com emissão de baixo carbono

Fábio Lucas
por
-
02-08-2021 13:37:38
em Indústria Naval, Portos e Estaleiros
carbono gás energia navio Foto: Exmar

Exmar e Nutrien se juntam e construirão navio que será movido a amônia e que reduzirá em até 40% as emissões de carbono

Empresas do mundo todo estão trabalhando para desenvolver tecnologias de reduzir a emissão de carbono nas próximas. No momento, um grande projeto conduzido pela Exmar, empresa belga de transporte de gás, e a canadense Nutrien, visa a construção de um navio movido a amônia e baixo teor de carbono até 2025. 

A expectativa do projeto é reduzir as emissões de carbono da Nutrien. As empresas irão colaborar com a escolha do motor movido a amônia e o sistema de abastecimento. A empresa canadense vem buscando nos últimos 10 anos o desenvolvimento de um motor movido a amônia com baixo teor de carbono. 

Nutrien tem muita amônia a disposição para o projeto. A empresa possui cerca de 1 milhão de toneladas de capacidade de produção na sua instalação no estado de Louisiana, nos Estados Unidos. Eles possuem a tecnologia que captura o excesso do carbono da sua amônia.  

Se comparado com o uso de combustíveis tradicionais, o uso da amônia de baixo carbono irá gerar uma redução de até 40% na emissão de carbono na atmosfera. Caso usem a melhor tecnologia possível, a redução poderá chegar em até 70%.

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Exmar (@exmar_group)

A Exmar sempre se esforçou para contribuir com inovações e aumentar a eficiência em logística e transporte de gás. O desenvolvimento de um navio movido a amônia junto com nosso parceiro de longa data Nutrien é uma próxima etapa emocionante e lógica para nós”, destacou Jens Ismar, diretor executivo da Exmar

O projeto é caro e ambicioso, porém, a cooperação das duas empresas espera implementar o navio já no ano de 2025. “Esta iniciativa demonstra como estamos agindo para cumprir nossos compromissos de sustentabilidade para 2030 do Plano Alimentar o Futuro, que incluem o investimento em inovações de amônia com baixo teor de carbono.” Destaca o comunicado à imprensa. 

Tags:
Fábio Lucas
Jornalista brasileiro, amo esportes, notícias e política. Já contribui em diversos outros portais relacionados a esportes, economia e informações regionais.
fwefwefwefwefwe