Empresa do RJ cria telha de grafeno capaz de gerar energia solar e com vida útil de 80 anos

Valdemar Medeiros
por
-
02-06-2021 11:29:07
em Energia Renovável
RJ - energia solar - grafeno - empresa Painel maleável de grafeno – Créditos: techradar

A empresa Telite, que atua no RJ, criou um projeto inovador: telhas de grafeno, que são feitas a partir de plástico reciclado e podem gerar energia solar

A Telite, empresa que atua no interior do RJ, está propondo a reciclagem de plástico para a fabricação de telhas. Atualmente, a empresa vende 25 mil telhas mensalmente e, em 2021, focada em tecnologia e sustentabilidade, a empresa estima ter um lucro de R$ 50 milhões devido ao seu novo produto: as telhas de grafeno que podem gerar energia solar.

Leia também

Telha de grafeno reciclada promete revolucionar o mercado de energia solar

A telha é produzida em polietileno, de alta densidade, e é composta também por grafeno. Foi através desse material que a empresa conseguiu fazer com que a telha conseguisse uma geração de 30 KW por mês em uma residência média. Segundo a Telite, se a casa utilizar quatro telhas de energia solar, poderá se tornar autossuficiente em produção de energia.

De acordo com a empresa do RJ, as telhas de grafeno devem entrar no mercado de energia solar ainda este ano. A empresa está apenas aguardando a certificação do Inmetro para viabilizar o projeto, o que deve ser concluído entre junho ou julho. Após essa etapa, a Telite promete testar a nova telha de energia solar em cerca de cinco clientes para identificar e remover possíveis problemas antes de ir ao mercado.

Palavras do CEO e fundador da Telite

De acordo com Leonardo Retto, CEO e fundador da Telite, a autossuficiência é um ponto fundamental para o Brasil, tendo em vista que além de economizar, você pode garantir sua própria energia, algo que está em xeque devido à emergência hídrica entre os meses de junho a setembro em vários estados do país.

As telhas de grafeno devem chegar ao mercado com um preço que bate com à média do mercado, que atualmente fica entre R$ 140 e R$ 150 cada telha.

O fundador da empresa no RJ afirma que os seus concorrentes vendem as suas telhas comuns a esse preço, ou seja, tendo o mesmo preço e com esse diferencial, a empresa se torna mais competitiva, possuindo uma telha de energia solar leve, capaz de ser transportada para diversos lugares, sem dificuldade, e podendo ser utilizada em projetos do Governo como, por exemplo, Minha Casa, Minha Vida.

Telite menciona alguns gargalos encontrados no caminho

Para viabilizar o projeto, a empresa do RJ vem enfrentando alguns obstáculos. Um deles é encontrar um fornecedor do grafeno utilizado na composição das telhas de energia solar. Ao encontrar um parceiro, a Telite estima captar de R$ 8 milhões a R$ 9 milhões para produzir em grande escala as telhas. Retto afirma que a preocupação da empresa agora é garantir uma grande produção.

A empresa conversou com os fabricantes do grafeno e ainda não há lugar que possa fornecer o material em grande escala. A extração do grafeno é muito cara no Brasil. Sendo assim o valor da captação varia bastante.

Tags:
Valdemar Medeiros
Formado em Segurança do trabalho, especialista em marketing de conteúdo em conjunto de ações de SEO e Universitário de Publicidade e Propaganda.