Eletronuclear fecha acordo com estatal russa para a construção e manutenção de usinas nucleares

Usinas – nucleares – Eletronuclear Usina Nuclear em Angra dos Reis/ Fonte: VEJA

O memorando de entendimento entre a Eletronuclear e a Rosatom prevê cooperação e desenvolvimento das usinas nucleares no Brasil

A Eletronuclear, subsidiária da Eletrobras responsável por operar as usinas nucleares brasileiras, e a empresa russa Rosatom assinaram um memorando de entendimentos para construção e manutenção de usinas nucleares de grande e pequena potência no Brasil. O acordo foi fechado durante a Conferência Geral da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), que ocorre em Viena, na Áustria. Confira ainda esta notícia: Combustíveis usados em Angra 1 e 2 pela Eletronuclear poderão ser reaproveitados para geração de energia

O memorando entre a Eletrobras e a Rosatom

O acordo entre as empresas, válido por três anos, aborda temas como construção de usinas nucleares no Brasil, projetos para desenvolvimento de reatores terrestres e flutuantes e gestão de resíduos. O acordo de cooperação inclui outras possibilidades, como técnicas de construção e ciclo do combustível. O documento também abre espaço para participação da Rosatom na sondagem de mercado do modelo econômico.

Presidente da Eletronuclear, Leonan dos Santos Guimarães destacou a importância do acordo para a empresa e o desenvolvimento das usinas nucleares no Brasil. O executivo diz que para a Eletronuclear, esse instrumento de cooperação mútua assinado com a Rosatom, representa uma excelente oportunidade na expansão futura dos negócios, e em especial, no atendimento à necessidade de expansão da geração nucleoelétrica em nosso país.

Desenvolvimento das usinas nucleares no Brasil

Segundo o site Valor Econômico, também há previsão de cooperação entre as empresas para o reprocessamento de materiais das usinas nucleares, o fechamento do ciclo do combustível nuclear e a gestão de resíduos radioativos, além da implementação conjunta de projetos de educação e treinamento no segmento nuclear.

“O Brasil é um dos principais parceiros da Rosatom na América Latina em várias áreas, principalmente no campo da medicina nuclear. Estou certo de que a assinatura do memorando nos ajudará a abrir uma nova etapa de fecunda cooperação bilateral, visto que o país tem trilhado um caminho para ampliar a participação da geração nuclear no balanço energético nacional”, comentou primeiro-diretor-geral-adjunto e diretor da unidade de desenvolvimento e negócios internacionais da companhia russa, Kirill Komarov.

Recentemente, o Governo anunciou a retomada da construção da usina nuclear Angra 3 e os investimentos podem chegar a R$ 15 bilhões

O Governo anunciou em maio que iria retomar, o processo de construção da usina nuclear Angra 3, localizada na praia de Itaorna, em Angra dos Reis, no estado do Rio de Janeiro. De acordo com o anúncio, ele ainda irá realizar a abertura das propostas das empresas interessadas em participar da obra do empreendimento, em que os investimentos podem chegar a R$ 15 bilhões. Cerca de 18 grupos compraram o edital e visitaram o local onde serão construídos os dois prédios da unidade – um para abrigar o reator (cúpula) e um segundo de uso auxiliar.

A usina nuclear Angra 3 é o maior empreendimento de infraestrutura previsto no Brasil em 2021, com custo estimado das instalações em cerca de R$ 15 bilhões. O projeto inicial da usina nuclear prevê a construção de dois prédios, um para abrigar o reator e o outro para uso auxiliar. De acordo com informações do Governo, a primeira etapa no processo de construção de Angra 3 consiste na abertura das propostas das empresas interessadas em participar da construção do empreendimento.

Tags:
Roberta Souza
Engenheira de Petróleo, pós-graduanda em Comissionamento de Unidades Industriais, especialista em Corrosão Industrial. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal. Não recebemos currículos
fwefwefwefwefwe