Duto Submarino em campos de petróleo e gás – Entenda sua aplicação no ramo offshore

Duto Submarino Petróleo

Wilson Fausto, Engenheiro de Produção e Técnico experiente na área, explica resumidamente as características e aplicações de um duto submarino (s) em operações Subsea

Na produção offshore, temos o fluxo de óleo e gás da Árvore de Natal Molhada – ANM e/ou manifold para a Unidade Estacionária de Produção – UEP. Os dutos submarinos são responsáveis pela movimentação dos fluidos produzidos no campo de petróleo e gás. Também são responsáveis pela condução dos fluidos injetados no reservatório, que saem da UEP em que passam pelos Manifolds e pelas ANMs.

Eles podem ser classificados como dutos rígidos ou como dutos flexíveis, onde as linhas rígidas são constituídos por tubos de aço carbono que, a depender do fluido transportado, podem ser de ligas especiais, inibindo a corrosão, a abrasão e a erosão, e podendo ter ainda revestimento externo para manter a temperatura do fluido, evitando assim, a formação de hidratos e parafinas.

Já as linhas flexíveis são constituídas por diferentes camadas, que tem funções distintas na sua operação. Os dutos flexíveis são constituídos, de dentro para fora, por: uma carcaça interna de Aço intertravado, barreira de pressão interna, armadura de pressão, camada intermediária de plástico, armaduras de tração, camada externa de plástico e a proteção anti-abrasiva.

O petróleo quando e encontrado, ele está em estado pastoso ou mineral? Como é feito para que ele siga seu caminho?

No meio de produção , há métodos de elevação do Petróleo ,visando transporta determinado fluido de um ponto de maior pressão para outro de menor , eles se dividem em natural e artificial ; esse método tem objetivo de deslocar o fluido para determinado local , através de controle manual ou automático , geralmente se é usado GÁS LIFT continuo ou intermitente , bombeio centrífugo ou mecânico ou por cavidade progressiva.

O gás lift por ter custo baixo para produzir em poços profundos é bastante utilizado , ele consiste em uma injeção de gás à alta pressão continuamente na coluna de produção , tendo objetivo de gaseificar o fluido desde o ponto de injeção até a superfície!

Por Wilson Fausto Lino – Engenharia de Produção | Operador de Produção l Técnico em Mecânica

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião do Click Petróleo e Gás.

Paulo Nogueira

Sobre Paulo Nogueira

Formado em Eletrotécnica e entusiasta do setor de tecnologia, com experiência no setor O&G em empresas nacionais e internacionais.