Corrida de interessados para distribuir o gás natural do Nordeste

Gás do Nordeste tem alta procura por distribuidoras

Associação declarou que distribuidoras receberam 23 propostas de empresas nacionais e internacionais interessadas no gás canalizado do Nordeste

A Abegás (Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Gás Canalizado), divulgou na última terça-feira (16/04), que as distribuidoras do Nordeste receberam vinte e três propostas para uma concorrência para adquirir e distribuir o gás da região.
As propostas foram feitas por nove empresas, entre elas grupos nacionais e internacionais e faz parte de uma licitação aberta pela Associação no ano passado visando diversificar as fontes fornecedoras de gás natural, que hoje pertence a Petrobras.

No início do mês o governo já havia aprovado a resolução que institui o Comitê de Concorrência do Mercado de Gás Natural no Brasil, com o intuito de buscar preços mais competitivos e garantir o livre acesso à malha de gasodutos existente no país, que tem 60% de ociosidade, segundo o Ministério de Minas e Energia.

As distribuidoras do Nordeste participantes do processo são a Algás (Alagoas), Bahiagás (Bahia), Cegás (Ceará), PBgás (Paraíba), Copergás (Pernambuco), Potigás (Rio Grande do Norte) e Sergás (Sergipe).
Cada Concessionária receberá as respectivas propostas para verificação de conformidade ao seu edital que contemplava o volume de 9,4 milhões de metros cúbicos diários de gás natural.

Interesse alto também pela região Sul

Com um volume potencial de 9,9 milhões de metros cúbicos diários de gás natural, a região Centro-Sul do país também despertou o interesse de empresas em distribuir o gás natural.

Em recente chamada pública que teve o prazo de entrega de propostas findado no dia vinte e nove de março, foram recebidas cinquenta e uma ofertas de 15 empresas diferentes, entre elas seis players globais, três comercializadoras, três de gás de síntese/renovável e três de gás natural liquefeito small scale.

O Presidente do Bndes quer gás natural como combustíveis nos caminhões ! Acesse aqui e veja o porque desta intenção !

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião do Click Petróleo e Gás.

Renato Oliveira

Sobre Renato Oliveira

Engenheiro de Produção com pós-graduação em Fabricação e montagem de tubulações com 30 anos de experiência em inspeção/fabricacão/montagem de tubulações/testes/Planejamento e PCP e comissionamento na construção naval/offshore (conversão de cascos FPSO's e módulos de topsides) nos maiores estaleiros nacionais e 2 anos em estaleiro japonês (Kawasaki)