Copel usará inteligência artificial para gestão de parques de energia eólica

Valdemar Medeiros
por
-
01-01-2021 13:43:23
em Energia Renovável
Copel - energia eólica - Inteligência artificial

A concessionária de eletricidade do estado do Paraná, Copel, implementou inteligência artificial – IA na previsão da produção de energia eólica.

A Copel Geração e Transmissão implantou a solução WindFor inteligência artificial, da desenvolvedora de software dinamarquesa Enfor, para previsão dos 590,5 MW de capacidade instalada nos quatro complexos de energia eólica que a empresa opera no Rio Grande do Norte.

Leia também

Usando o poder da inteligência artificial na energia eólica

Usando inteligência artificial – IA, a ferramenta indicará com até 12 dias de antecedência quanta energia eólica pode ser produzida com as 264 turbinas eólicas desses complexos.

As projeções devem auxiliar no planejamento das operações para aumento da produção desses parques eólicos e no agendamento de paradas para manutenção em períodos de menor favorabilidade para geração de energia elétrica.

A solução de inteligência artificial faz parte de um plano mais amplo e contínuo para melhorar o desempenho dos ativos de geração eólica da empresa. O projeto de energia eólica alcança R$ 2,2 milhões (US $ 0,4 milhão) está implementando três ferramentas independentes, que serão integradas. A primeira ferramenta, que está em uso na Copel desde outubro de 2019, trata da avaliação da vazão de energia eólica em projetos de parques eólicos.

O terceiro componente é uma plataforma online para avaliar e gerenciar o desempenho de turbinas eólicas e parques eólicos em tempo real. A plataforma foi introduzida nos complexos Brisa Potiguar e São Bento em outubro e prevê-se a sua expansão para os complexos Cutia e Bento Miguel em 2021.

Gestor da Copel afirma que alternativa de optar por inteligência artificial é segura e confiável

Thadeu Silva, diretor de Operação e Manutenção da Copel GeT, afirma que a gestão dos ativos eólicos deve se basear em três pilares principais: a disponibilidade dos aerogeradores, a disponibilidade do equilíbrio da usina, ou seja, redes, subestações, etc., e a taxa de conversão do recurso eólico em eletricidade.

 “A tecnologia de inteligência artificial adquirida neste projeto apoiará as análises da Copel e fará com que nossos ativos operem sempre no seu nível ideal. Nosso objetivo é colocar nossos parques eólicos entre os melhores em termos de fator de capacidade”.

O sistema irá coletar dados diretamente dos parques eólicos com monitoramento e geração de relatórios em tempo real, para melhorar a tomada de decisão e confiabilidade. Além do monitoramento de toda a fazenda, os dados das turbinas individuais permitirão a detecção de desvios dos parâmetros de projeto e possíveis problemas de manutenção emergentes.

Tags:
Valdemar Medeiros
Formado em Segurança do trabalho, especialista em marketing de conteúdo em conjunto de ações de SEO e Universitário de Publicidade e Propaganda.