Com novas usinas em funcionamento, Brasil chega a 3,7 GW

Roberta Souza
por
-
20-10-2020 09:00:06
em Energia Renovável
Usinas, energia Fontes de energia

A potência instalada no país aumentou 3.696 MW. Usinas termoelétricas lideram, com energia eólica e a solar na sequência, respectivamente

Neste mês de outubro, a capacidade instalada do país aumentou em 3.696 megawatts. De acordo com os dados atualizados pela Administração Estadual de Energia na sexta-feira, um aumento de 234,63 megawatts foi dividido em 11 usinas. Segundo dados, em setembro eram 9 projetos de 160,14 MW. Usinas termoelétricas lideram, seguido da fontes de energia eólica e a solar, respectivamente.

Veja ainda outras notícias do dia:

Em outubro, a maior contribuição foi a fonte eólica com três parques e 101,43 MW, o segundo foi solar fotovoltaico com duas usinas com 95,68 MW. No acumulado do ano, a fonte de termoelétrica foi responsável pelo maior montante, e a potência instalada ultrapassou 2 GW. A maior parte foi devido ao lançamento da UTE Porto do Sergipe (SE, 1.543 MW), que entrou em operação em março.

A energia eólica é a segunda fonte que mais avançou em 2020, com 914 megawatts de energia divididos em 29 parques. A energia solar é a segunda com 628 MW em 16 projetos. As fontes hídricas são representadas apenas por 140,16 MW de CHP e 1 MW de CGH.

A partir desses índices, a agência reguladora informou que até o último trimestre de 2020, mais 1.066 MW precisam ser autorizados, o que levará um ano para agregar 4,7 GW de novas usinas. Esta será a produção anual mais baixa desde 2012, quando a nova fábrica do país adicionou quase 4 gigawatts. Os resultados até 2020 levam em consideração a série histórica da Aneel (dados de 1997), considerando a capacidade instalada do país de 110,3 GW.

Até o momento, a expectativa é de que 30,2 GW entrem em operação nos próximos anos. Espera-se que aumente em 6,7 GW em 2021 e aumentará para quase 13 GW em 2022. Em 2026 e 2028, a capacidade será inferior a 200 MW. Ainda são 3,3 GW (não previstos), e a usina Angra 3 no Rio de Janeiro (1,350 MW) está entre eles.

Tags:
Roberta Souza
Engenheira de Petróleo, pós-graduanda em Comissionamento de Unidades Industriais, especialista em Corrosão Industrial. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal. Não recebemos currículos