Cientistas provam que cascas de tamarindo servirão para produzir baterias de carros elétricos

Valdemar Medeiros
por
-
22-07-2021 11:58:13
em Logística e Transporte
Tamarindo - carros elétricos - baterias - Tamarindo – créditos – UPshowfruits/Cesar Giuliano

E se as cascas de tamarindo pudessem gerar energia? Acredite, isso é possível por meio dos estudos de Cientistas de Singapura, que conseguiram provar que as cascas da fruta podem ser utilizadas para a produção de baterias para carros elétricos

Cientistas da Universidade Tecnológica de Nanyang, em Singapura, conseguiram provar a possibilidade de transformar as cascas de tamarindo, que é um ótimo antioxidante, anti-inflamatório e é rico em vitaminas A, C e E, em bateria para carros elétricos. Ao ser processadas, as cascas, ricas em carbono, se transformaram em nanofolhas de carbono que podem ser utilizadas na fabricação de supercapacitores, que são utilizados pela indústria para construir células de armazenamento de eletricidade.

Leia outras noticias relacionadas

Líder do estudo com tamarindo para carros elétricos se pronuncia  

De acordo com Steve Cuong Dang, professor de engenharia elétrica que liderou o estudo, foi descoberto que o desempenho das nanofolhas das cascas da fruta podem ser comparadas com as feitas de forma industrial, com uma estrutura porosa e propriedades eletroquímicas.

As cascas do tamarindo costumam ser descartadas durante o processo de fabricação de alimentos e por serem volumosas e difíceis de armazenar, elas ocupam um grande espaço nos aterros.

Além de encontrar uma nova forma de armazenamento energético para baterias de carros elétricos, os pesquisadores estimam que a ampliação do uso das nanofolhas de carbono possa diminuir o impacto ambiental causado pelo despejo das cascas como subproduto de processos de manufatura de alimentos.

Entenda o processo de criação das nanofolhas para baterias de carros elétricos

Esquema de fabricação das nanofolhas de carbono  (Imagem: Reprodução/NTU)

Para que as nanofolhas fossem criadas, os cientistas lavaram e secaram as cascas a uma temperatura de 100ºC por aproximadamente seis horas. Sem a presença de água, elas foram moídas e transformadas em um pó, que logo após foi cozido em uma fornalha por duas horas e meia a mais ou menos 800º C.

Nesse processo, o oxigênio é eliminado e os pesquisadores conseguiram converter o material em folhas finas de carbono. Como as cascas de tamarindo são porosas e ricas nesse elemento por natureza, elas se tornam ideais para a fabricação de baterias para carros elétricos.

Nanofolhas de carbono e as baterias de casca de tamarindo

Nanofolhas de carbono são compostas por átomos de carbono dispostos em hexágonos interconectados, como um favo de mel, por exemplo. O segredo por trás das suas capacidades de armazenar energia está em sua estrutura porosa.

A ideia dos pesquisadores agora é realizar a ampliação dos estudos para que a produção das nanofolhas por meio das cascas de tamarindo aumente. O plano é realizar uma parceria com os produtores agrícolas e também diminuir a energia necessária no processo de fabricação, tornando o projeto mais ecológico.

Os pesquisadores também pretendem, futuramente, explorar outros tipos de cascas de frutos para construir dispositivos de armazenamento de energia mais eficientes e baratos.

Tags:
Valdemar Medeiros
Formado em Segurança do trabalho, especialista em marketing de conteúdo em conjunto de ações de SEO e Universitário de Publicidade e Propaganda.