Empresários da Singapura copiam os chineses e também querem parcerias no Rio de Janeiro

Negócios com o Rio de Janeiro

Encontro na sede da Firjan, no rio de Janeiro, procura por parcerias no mercado de Petróleo e Gás, que conforme consenso tem enorme potencial de investimentos

Empresários de Singapura estão no rio de Janeiro e se reuniram com empresários e instituições brasileiras visando acordos de cooperação na área de Petróleo e Gás.
O encontro aconteceu na última quinta-feira (02/05) na sede da Firjan e reuniu seis empresas e um instituto de pesquisa do país asiático e com mais de quarenta empresas cariocas e foi realizado pela Firjan, pela ONIP (Organização Nacional da Indústria do Petróleo), pela Enterprise Singapore e pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil).

Segundo Simon Lim, diretor-executivo da Enterprise Singapore, agência governamental que defende o desenvolvimento empresarial, O objetivo é que os envolvidos encontrem potenciais formas de colaborar entre si, tendo retorno positivo para ambos os países”.
Vale lembrar que Singapura é hoje um dos maiores fabricantes de FPSOs do mundo e um importante centro da indústria de Petróleo e Gás da Ásia.

Já o diretor Internacional da Firjan, Frederico Cezar de Araujo, destacou a importância do estado do Rio de Janeiro na indústria de Óleo e Gás e ressaltou as reservas existentes no estado.
“Não há melhor local onde encontrar parceiros para negócios. Nesse sentido, a Firjan atua em diversas frentes para que o rumo de nossa indústria seja direcionado para melhorar nossa competitividade e ter inserção mundial”, disse ele.

Grandes empreendimentos do estado

Os grandes empreendimentos em andamento no Rio de Janeiro foram destacados durante o encontro, principalmente por Meg Montana, superintendente de Petróleo e Indústria Naval do governo do estado.
“Temos as obras na Zona de Processamento de Exportação (ZPE) do Açu, em São João da Barra, que tem prevista também a instalação de uma térmica; o Terminal Portuário de Macaé, conhecido como Tepor, em fase de instalação; a construção e operação de térmica a gás em Marlim Azul, também em Macaé; e a construção, em progresso, do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj)”.

Só estes empreendimentos citados acima devem atrair, até 2030, R$ 1 trilhão em investimentos e somam hoje US$ 4 bilhões.
Foi lembrado ainda pela superintendente, a possibilidade de investimentos nos campos maduros que serão licitados pelo governo e investimentos na indústria naval e na área de energia renovável.

O papel de cada um

Foi destacado pela Firjan seu papel como órgão de capacitação profissional, através do SENAI e do SESI, visto que o mercado de Petróleo e Gás no estado é altamente qualificado e que conta com mais de 40% de profissionais com ensino superior.
Já a APEX-Brasil declarou que sua contribuição será no sentido de ajudar as empresas fluminenses no que se refere a fomentar a exportação, ajudar na internacionalização e atrair investimentos para o país.

Exploração de 4 blocos do pré-sal renderão R$1 tri pelos próximos 30 anos ! Acesse aqui e fique informado !

Sobre Renato Oliveira

Engenheiro de Produção com pós-graduação em Fabricação e montagem de tubulações com 30 anos de experiência em inspeção/fabricacão/montagem de tubulações/testes/Planejamento e PCP e comissionamento na construção naval/offshore (conversão de cascos FPSO's e módulos de topsides) nos maiores estaleiros nacionais e 2 anos em estaleiro japonês (Kawasaki)