Cientistas do Pentágono testam painel de energia solar que envia energia do espaço para a Terra

Valdemar Medeiros
por
-
25-02-2021 15:43:50
em Energia Renovável
pentágono - energia solar - espaço Energia solar

Uma equipe de cientistas do Pentágono testou com sucesso o protótipo de painel de energia solar capaz de enviar  energia elétrica do espaço

O satélite do Pentágono, que é um painel de energia solar do tamanho de uma caixa de pizza, foi chamado de Módulo de Antena Fotovoltaica de Rádio Freqüência (PRAM). Foi lançado ao espaço em maio de 2020, montado em um drone ultrassecreto do Pentágono X-37B.

Leia também

Trancos e barrancos

Esta tecnologia do Pentágono contorna muitos dos  principais desafios  enfrentados pela energia solar aqui na Terra. Os painéis solares de superfície são limitados por ciclos diurnos e noturnos e só podem coletar energia por cerca de  12 horas por dia , mas os painéis no espaço orbitariam a Terra de frente para o sol e coletariam a luz solar o tempo todo.

Os painéis no solo também não recebem tanta luz solar devido à dispersão da luz azul   na atmosfera (por  isso o céu parece azul ), mas os painéis espaciais coletariam a intensidade total dos raios do sol. Eles também não seriam prejudicados por climas como chuva, neve ou tempestades de poeira.

Novos painéis de energia solar do Pentágono teriam que ser lançados em grande número

No entanto, esses painéis de energia solar do Pentágono teriam que ser produzidos e lançados  em grande número para serem uma fonte eficiente de energia. Um painel do tamanho de uma caixa de pizza produz energia suficiente para operar um tablet, o que é impressionante se você quiser carregar o iPad, mas não tão impressionante se estiver procurando  restaurar a energia  para um estado inteiro.

Mas Jaffe diz que aumentar a escala pode valer a pena,  “Algumas visões têm o espaço solar igualando ou excedendo as maiores usinas de energia hoje – vários gigawatts – o suficiente para uma cidade”.

Outra desvantagem é colocar os painéis lá em cima. “Construir hardware para o espaço é caro”, disse Jaffe. Embora os  custos estejam caindo, investir em infraestrutura do espaço exterior pode ser uma tarefa difícil. No entanto, Jaffe diz que é mais fácil construir projetos enormes como este quando eles não dependem da gravidade para suporte.

Transmissão global de energia solar

As tecnologias de transmissão necessárias para que isso aconteça ainda estão em sua infância, mas tal método de fornecimento de energia pode ser extremamente promissor.

“A vantagem única que os satélites de energia solar têm sobre qualquer outra fonte de energia é esta transmissibilidade global”, disse Paul Jaffe, investigador principal do PRAM no Laboratório de Pesquisa Naval dos EUA, à CNN . “Você pode enviar energia para Chicago e uma fração de segundo depois, se necessário, envie para Londres ou Brasília.”

Isso significa que esse sistema também pode ser extremamente útil para fornecer energia imediata a regiões propensas a desastres na Terra, sem depender de infraestrutura física no local.

Tags:
Valdemar Medeiros
Formado em Segurança do trabalho, especialista em marketing de conteúdo em conjunto de ações de SEO e Universitário de Publicidade e Propaganda.