Ceará se destaca e pode virar grande exportador de hidrogênio verde para a Alemanha

Roberta Souza
por
-
26-02-2021 09:09:39
em Economia, Negócios e Política
Ceará, Alemanha, hidrogênio Hidrogênio verde

O estado Ceará pode desempenhar um papel estratégico no acordo de exportação de hidrogênio verde assinado com o governo da Alemanha

O estado do Ceará pode ter um papel estratégico no acordo de exportação de hidrogênio verde firmado com o governo alemão. Após o anúncio do governo do estado, representantes da Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Alemanha de São Paulo e do Rio de Janeiro buscam oportunidades de negócios entre o estado e o país europeu.

Veja ainda outras notícias do dia:

Ansgar Pinkowski, gerente de inovação e sustentabilidade da Câmara Brasil-Alemanha do Rio de Janeiro, diz que “Com esse hub de hidrogênio verde anunciado pelo Estado, o Ceará está se lançando na frente não só de outros estados, mas também do Governo Federal que está pensando em lançar um roadmap e uma estratégia nacional de hidrogênio verde, mas ainda nem começou. O Ceará abraçou essa oportunidade e está se lançando bem na frente dos outros, e o que me empolga no Ceará é que as instituições estão trabalhando juntas: Estado, Fiec (Federação das Indústrias do Estado do Ceará), iniciativa privada, e a universidade”.

Recentemente, o estado do nordeste assinou um memorando com a multinacional australiana Enegix Energy, para construir uma usina de produção de hidrogênio verde (H2V), no Complexo Portuário e Industrial do Porto do Pecém (Cipp). A usina prevê um aporte de US$ 5,4 bilhões – o equivalente a cerca de R$ 28 bilhões.

Exportações para a Alemanha:

O governo alemão iniciou o processo de busca de fornecedores de energia de hidrogênio verde para atender às necessidades do país nos próximos anos. De acordo com Ansgar, até 2030, a Alemanha espera substituir 30% de sua matriz energética baseada em petróleo e gás natural para consumir hidrogênio verde.

No entanto, devido a razões geográficas e outras restrições, a Alemanha deve importar 90% do hidrogênio verde, o que estabelecerá parcerias comerciais com fornecedores globais.

Bernd dos Santos Meyer, consultor de cooperação para o desenvolvimento de tecnologia sustentável da Câmara Brasil-Alemanha de São Paulo, disse que “O governo alemão falou que vai investir 9 bilhões de euros para desenvolver o mercado de hidrogênio verde e 2 bilhões de euros serão direcionados às parcerias internacionais. A nossa intenção é que o Brasil entre como parceiro nessa cooperação internacional e estamos trabalhando para impulsionar esse assunto no País e aqui no Ceará”.

Tags:
Roberta Souza
Engenheira de Petróleo, pós-graduanda em Comissionamento de Unidades Industriais, especialista em Corrosão Industrial. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal. Não recebemos currículos