Ação popular em São Paulo pode impedir o leilão dos excedentes da cessão onerosa

Ação em São Paulo contra o leilão da cessão onerosa

Ação popular na justiça federal de São Paulo pede a suspensão do leilão por contestar o acordo de coparticipação dos vencedores com a Petrobras

O Megaleilão dos excedentes da cessão onerosa, marcado para próxima quarta-feira (06/11), é ameaçado por uma ação popular na justiça federal de São Paulo. BP e Total desistem de participar do leilão do excedente da cessão onerosa, Veja aqui !
Impetrado pelo escritório de advocacia Garcez, a ação é uma liminar que solicita a suspensão do leilão por não estar em legalidade o acordo que regerá a coparticipação entre os novos operadores e a Petrobras em relação ao petróleo excedente da cessão onerosa, permanecendo a estatal como operadora dos volumes originais.

A situação se aplicará aos campos de de Atapu e Sépia,  já que a Petrobras só vai fazer oferta pelos campos de Itapu e Búzios  e vai operar os excedentes, com no mínimo, 30% dos novos contratos.

O leilão está sendo chamado de mega leilão e vai ofertar reservas em quatro campos do pré-sal da Bacia de Santos ( Atapu, Sépia, Itapu e Búzios) na quarta (6/11) e pode arrecadar mais de R$ 106 bilhões em bônus de assinatura pagos pelos vencedores.

A ação contesta também os descontos na apuração da arrecadação em cima do cálculo de impostos federais (IRPJ e a CSLL) no regime de partilha e regulamentada pela MP 795, de 2017, editada no governo Temer, segundo ela, traria prejuízo aos cofres públicos.

Na opinião do governo a liminar não deve ser concedida visto que o regulamento do leilão foi amplamente debatido em consulta pública e foi aprovado pelo TCU.

Esta não é a única tentativa de impedir o leilão,  Ildo Sauer e Guilherme Estrella, elaboraram uma nota técnica, por meio do Instituto de Energia e Ambiente da Universidade de São Paulo (IEE USP) contra a realização do leilão.
Ambos acham que a entrada de empresas privadas ou estrangeiras no pré-sal ameaçam a a soberania energética do Brasil e defendem que o melhor modelo de contratação seria através da Petrobras, controlado pela PPSA e pela ANP. (Veja a íntegra do Nota Técnica aqui).

Ildo Sauer foi diretor de Gás e Energia da Petrobras entre 2003 e 2007 e é professor titular do IEE USP, já Guilherme Estrella foi diretor de Exploração e Produção entre 2003 e 2011, justamente a época em que foram confirmadas as primeiras descobertas no pré-sal.

Trabalhadores que prestam serviços a Petrobras tem hotel flutuante no mar cercado de luxo em Macaé, a OOS Tiradentes!

Renato Oliveira

About Renato Oliveira

Engenheiro de Produção com pós-graduação em Fabricação e montagem de tubulações com 30 anos de experiência em inspeção/fabricacão/montagem de tubulações/testes/Planejamento e PCP e comissionamento na construção naval/offshore (conversão de cascos FPSO's e módulos de topsides) nos maiores estaleiros nacionais e 2 anos em estaleiro japonês (Kawasaki)