TechnipFMC assina um grande contrato de serviços para o pré-sal no Campo de Lapa


O prestadora de serviços petrolíferos TechnipFMC, recebeu um contrato submarino significativo para o campo da Lapa, na Bacia de Santos

O contrato que a TechnipFMC faturou pertence a Total, em nome do consórcio de campo da Lapa, composto pela Total (35%), Shell Brasil Petróleo Ltda. (30%), Repsol Sinopec Brasil S.A. (25%) e Petrobras (10%). O valor do contrato para a TechnipFMC está entre US $ 75 milhões e US $ 250 milhões, informou a empresa nesta terça-feira. O campo da Lapa está localizado no pré-sal da Bacia de Santos, sob a concessão do BM-S-9A, a 2.150 metros de lâmina d’água no litoral brasileiro.

A TechnipFMC afirmou que o contrato cobre o fornecimento de tubos flexíveis para produção de petróleo, elevação de gás e injeção de gás, bem como acessórios associados.

O campo será conectado ao FPSO Cidade de Caraguatatuba, que já está em operação. A produção de petróleo e gás do campo da Lapa começou em dezembro de 2016.

Arnaud Piéton, Presidente Subsea da TechnipFMC, comentou: “Estamos honrados em sermos selecionados para executar o projeto do pré-sal da Lapa no Brasil. Estamos ansiosos para colaborar com a Total e o Consórcio do Campo da Lapa para aumentar ainda mais o potencial de hidrocarbonetos do Brasil. ”

Total pede novas propostas do PLSV para o campo de Lapa

A Francesa Total recentemente fez algumas modificações importantes nos termos contratuais do PLSV, reduzindo o escopo de trabalho proposto para atender às suas novas exigências do campo de Lapa, levando a empresa a pedir uma nova licitação.

Não se sabe quantos poços a Total perfurará no campo de Lapa, mas fontes sugeriram que dois ou três serão executados em breve. O PLSV fretado conectará esses poços ao FPSO. Confira aqui a matéria completa sobre este assunto

Total altera escopo e pede novas propostas do PLSV para o campo de Lapa

Um passo simples para se trabalhar embarcado mas poucos conhecem...

Um dos mercados mais almejados para profissionais que desejam trabalhar no mar é o offshore, principalmente em navios de cruzeiro, embarcações de apoio e marcantes. As escalas de trabalho são diferenciadas, podendo-se trabalhar apenas 6 meses e folgando mais 6. Assista o vídeo revelador que têm ajudado muitas pessoas no Brasil a ingressar neste mercado aqui.
Posted Under
Sem categoria
Paulo Nogueira

Sobre Paulo Nogueira

Com formação técnica, atuei no mercado de óleo e gás offshore por alguns anos. Hoje, eu e minha equipe nos dedicamos a levar informações do setor de energia brasileiro e do mundo, sempre com fontes de credibilidade e atualizadas.