Subsea 7 mira novos contratos com setor promissor de óleo e gás

Roberta Souza
por
-
26-05-2021 20:06:03
em Petróleo, Óleo e Gás
Subsea 7 – gás – óleo e gás Embarcação da Subsea 7/ Fonte: Reprodução

O vice-presidente da Subsea 7 no Brasil, Marcelo Xavier, diz que a empresa vê mais dinamismo no setor de óleo e gás e pretende assinar novos contratos

De acordo com Marcelo Xavier, vice-presidente da Subsea 7 no Brasil, a companhia, que atende ao setor de energia offshore, pretende assinar novos contratos no segmento de óleo e gás no Brasil. O anúncio foi feito pelo vice-presidente da Subsea 7 a Reuters, afirmando que vê mais dinamismo no setor, com o desenvolvimento de projetos por petroleiras, além da Petrobras. Veja ainda: Chevron tem planos para adquirir novas áreas de óleo e gás nos próximos leilões no Brasil

Contratos do setor de óleo e gás visados pela Subsea 7

A Subsea 7, empresa norueguesa de engenharia, construção e serviços submarina, aguarda, para este mês, uma decisão final da petroleira Equinor sobre o importante projeto no campo de Bacalhau, localizado na Bacia de Santos, o primeiro do pré-sal a ser desenvolvido por uma empresa estrangeira.

No início de 2020, a Subsea 7 fechou contrato com a OneSubsea, da Schlumberger, para o desenvolvimento de projetos para a infraestrutura submarina e ancoragem de plataforma em Bacalhau. Hoje, as duas companhias aguardam o sinal verde da Equinor para executar o projeto, cujas instalações poderão ocorrer em 2022 e 2023.

Cenário de óleo e gás brasileiro

Marcelo Xavier disse que eles veem o cenário no Brasil bem mais dinâmico, se comparado com a última década, e ressalta que o setor de óleo e gás sofre pressão (global) em função da aceleração da agenda da transição energética. Xavier ainda destacou que o Brasil tem uma grande janela de oportunidade para transformar recursos em riquezas.

A Subsea 7 está trabalhando para vencer outros projetos no mercado, em diferentes estágios, também com a Petrobras e outras companhias do setor de óleo e gás. A companhia já instalou mais de 1.000 km de linhas rígidas e mais de 4 mil km de linhas flexíveis no país e, atualmente, tem uma frota composta por 4 PLSVs e mais de 40 ROVs. Segundo Xavier, o Brasil tem participação significativa nos resultados do grupo.

Veja ainda: Subsea 7 faturou contrato bilionário para fabricar estrutura submarina do FPSO Duque de Caxias da Petrobras

A Subsea 7, referência global em projetos e serviços submarinos, anunciou, em fato relevante na manhã do dia 24 de maio, que acabou de faturar um contrato bilionário com a maior petroleira do Brasil, a Petrobras. O negócio envolve o projeto submarino do FPSO Duque de Caxias — Mero 3. Segundo a Subsea 7, o escopo do serviço abrange engenharia, fabricação, instalação e pré-comissionamento de 80 quilômetros de risers rígidos e flowlines, 60 quilômetros de linhas de serviços flexíveis, 50 quilômetros de umbilicais e infraestrutura associada, bem como a instalação do sistema de ancoragem do FPSO.

Apesar de não informar o valor exato do contrato, Subsea 7 informou que o negócio fechou entre US$ 500 milhões e US$ 750 milhões. De acordo com a norueguesa, o gerenciamento e a engenharia do projeto começarão imediatamente nos escritórios no Rio de Janeiro e em Paris.

Tags:
Roberta Souza
Engenheira de Petróleo, pós-graduanda em Comissionamento de Unidades Industriais, especialista em Corrosão Industrial. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal. Não recebemos currículos
fwefwefwefwefwe