Startup desenvolve painel de energia solar mais eficiente do mundo ao substituir prata por cobre

Valdemar Medeiros
por
-
27-09-2021 12:13:37
em Energia Renovável
Startup - energia solar - painéis solares - prata - cobre Placas da SunDrive trocam prata por cobre — Foto: Reprodução/Site da companhia

Com a descoberta da eficiência do cobre em painéis solares, startup visa progredir no processo fabril, onde a prata será substituída pelo cobre nos próximos anos

A startup australiana SunDrive criou algo que seus pesquisadores estão chamando de ‘a célula de energia solar mais eficiente do mundo’, pois ela é a única até agora capaz de substituir prata por cobre. Ao obter essa maravilhosa descoberta e realizarem as mudanças e adaptações necessárias, o material atingiu uma eficiência energética em torno de 25,54%, anulando o recorde anterior que era em torno de 25,26%.

Leia também

Entenda melhor o ganho de eficiência após substituição da prata por corte

A prata é utilizada na fabricação de painéis solares convencionais e é um elemento essencial para que as placas funcionem corretamente. Atualmente, a produção de células fotovoltaicas representa cerca de 15% do consumo industrial de prata no mundo todo.

Ao realizar experiências com o cobre, obteve-se um resultado satisfatório a ponto de ser considerado seu uso permanente no lugar da prata, tradicionalmente usada, pois além de ser muito mais barato que a prata, o cobre é encontrado abundantemente na natureza, com a vantagem de precisar de menos energia para ser processado.

Startup investirá no uso do cobre, substituindo a prata no processo fabril de painéis de energia solar

De acordo com o co-fundador da startup, Vince Allen, há cerca de uma década atrás, as células solares que eram fabricadas em tamanho comercial tinham um limite de eficiência, que poderia variar entre 14% e 16%, ou seja, esse limite se dava a partir do total de energia gerada, tendo como base a quantidade de luz solar que conseguia chegar aos painéis.

Esses percentuais eram muito baixos, tornando o uso desse tipo de sistema totalmente irrelevante e dispensável quando comparado à outras fontes de energia que já tinham no mercado ou que estavam em fase final de desenvolvimento.

Agora, com a substituição da prata pelo cobre, os pesquisadores da startup se empenham em alinhar dois fatores primordiais para o uso continuo dessa tecnologia, adaptando-a para escala industrial, que é reduzir o preço dos painéis de energia solar e aumentar a eficiência energética das células fotovoltaica que são destinadas à geração de eletricidade dos painéis.

Aplicação na prática do projeto

Segundo os executivos da SunDrive, ainda levará um certo tempo para que a empresa possa dar início ao processo de produção dos painéis de energia solar em escala a nível comercial com a utilização do cobre no lugar da prata.

Mesmo que os pesquisadores ainda não estejam devidamente prontos para o processo fabril de células fotovoltaicas em sistemas destinados à instalação, o recorde de eficiência obtido pela startup já representa uma enorme mudança para a indústria de painéis solares fotovoltaicos.

Vince Allen acredita que, se seguirem o cronograma elaborado pela equipe de pesquisa, o plano daqui a um tempo é construir um módulo que possa ser instalado no telhado de casas ou até mesmo em uma fazenda solar até o final de 2021.

O foco de Allen e sua equipe é a construção da linha de produção piloto até 2022, com painéis solares prontos para serem comercializados em larga escala até o primeiro semestre de 2023.

Tags:
Valdemar Medeiros
Especialista em marketing de conteúdo, ações de SEO e E-mail marketing. E nas horas vagas Universitário de Publicidade e Propaganda.
fwefwefwefwefwe