Início Siemens Energy fabricará em São Paulo turbogeradores para abastecer nova usina da Suzano; obras de construção da maior linha de produção de celulose de eucalipto do mundo vai gerar mais de 10 mil vagas de emprego

Siemens Energy fabricará em São Paulo turbogeradores para abastecer nova usina da Suzano; obras de construção da maior linha de produção de celulose de eucalipto do mundo vai gerar mais de 10 mil vagas de emprego

17 de junho de 2022 às 15:06
Compartilhe
Siga-nos no Google News
turbogeradores - semens - celulose - emprego - São Paulo
Turbogeradores, de modelo SST-60, Siemens – Imagem Siemens

Turbogeradores fornecidos pela Siemens fornecerá cerca de 180MW excedentes, suficientes para abastecer uma cidade com 2,3 milhões de habitantes durante um mês!

A Siemens Energy foi a empresa escolhida pela Suzano, referência global na fabricação de bioprodutos desenvolvidos a partir do cultivo de eucalipto, para fabricar turbogrradoes e prover toda a solução integrada de energia na nova fábrica de celulose que a empresa está construindo no município de Ribas do Rio Pardo, no Mato Grosso do Sul e, promete gerar mais de 10 mil vagas de emprego! 

De acordo com a Siemens, o escopo prevê a entrega da solução completa de geração, distribuição e gerenciamento de energia para alimentar toda a planta, que terá capacidade instalada para produzir 2,55 milhões de toneladas anuais de celulose. 

Artigos recomendados

Turbogeradores serão produzidos em fábricas da Alemanha e Jundiaí (SP), antes de seguirem para a planta da Suzano.

A geração de energia será feita por meio de três turbogeradores, de modelo SST-600, que transformam o vapor proveniente das caldeiras que queimam resíduos do processo de fabricação da celulose em energia elétrica. Esses equipamentos farão parte de uma das usinas mais ecoeficientes em termos de emissão de carbono no país. 

Trabalhe no Setor Eólico do Brasil

Além disso, por serem equipamentos de alto rendimento, as turbinas proporcionarão uma grande quantidade excedente de energia, permitindo à planta o fornecimento e venda para a Rede. A expectativa é que sejam gerados cerca de 180MW excedentes, suficientes para abastecer uma cidade com 2,3 milhões de habitantes durante um mês. Com entrega prevista para 2024, os turbogeradores serão produzidos em fábricas da Alemanha e Jundiaí (SP), antes de seguirem para a planta da Suzano.

As soluções da Siemens Energy para este projeto contemplam, ainda, softwares de monitoramento e gestão remotos que possibilitam a previsão de possíveis falhas e paradas técnicas de maneira assertiva. O programa verifica as tendências dos equipamentos – um possível aumento de temperatura ou vibração – e, por meio de um modelo matemático baseado em histórico de máquinas similares ao redor no mundo, o sistema evita a necessidade de paradas longas nos equipamentos. 

O sistema de monitoramento preditivo permite, por exemplo, adiar uma grande intervenção no equipamento, prevista em manual, de 6 para 12 anos, fazendo-as inclusive coincidir com uma parada geral da planta, minimizando a perda do uso dos equipamentos. 

Para a fluidez da energia gerada, o escopo prevê também a instalação de 108 Switchgears para a distribuição de energia para a planta, as quais acompanhadas por um sistema de gerenciamento de energia (EMS), bem como sistemas de sincronismo e rejeição de cargas que serão responsáveis pela alimentação elétrica das principais áreas de processo do empreendimento.

“A escolha da Siemens Energy para o fornecimento de soluções nesse projeto pioneiro da Suzano reforça a nossa capacidade de execução e a diversidade do nosso portfólio para entregar soluções customizadas e que impulsionam a eficiência energética de forma sustentável”, comemora Murilo Sgobbi Teixeira, Gerente de Vendas da área de Geração da Siemens Energy na América Latina.

Obras de construção da nova fábrica de celulose da Suzano vai gerar cerca de 10 mil empregos diretos, além de milhares de empregos indiretos.

Anunciada ao mercado em novembro de 2021, a nova fábrica de celulose da Suzano em Ribas do Rio Pardo está recebendo um investimento total de R $19,3 bilhões e é considerada a mais eficiente da companhia em função do baixo nível de emissão de carbono previsto após o início da operação. Durante o pico das obras, devem ser gerados cerca de 10 mil empregos diretos, além de milhares de empregos indiretos. Depois de concluída, a nova fábrica empregará cerca de 3 mil pessoas, entre colaboradores próprios e terceiros. 

Relacionados
Mais recentes