SBM volta ao mercado brasileiro por cima e fatura FPSO de Mero 2

FPSO Mero 2
 

Empresa holandesa vence a disputa e vai construir o navio plataforma que operará no campo de Mero 2 no bloco de libra.

Depois de fechar, no segundo semestre do ano passado, um acordo de leniência com o ministério Público Federal que devolveu aos cofres públicos R$ 1,4 Bi, a SBM está de volta ao jogo e por cima.
A holandesa venceu a licitação que concorria juntamente com a Modec e MISC e vai construir o FPSO que vai operar no campo de Mero 2 no bloco de Libra.

O contrato de afretamento é de 22 anos e marca o ressurgimento da empresa nas licitações da Petrobras, após ter seu acordo de leniência homologado com a justiça brasileira.
A SBM apresentou o menor preço na licitação e agora depende da validação do resultado pela Petrobras. Vale a pena lembrar que a empresa é a operadora do estaleiro Brasa, em Niterói e havia divulgado que o manteria fechado por um bom tempo por estar sem obras.

Como parte do acordo que permitiu a participação da empresa na licitação, o Grupo holandês se comprometeu também a passar informações apuradas em investigações sobre os pagamentos de comissão a lobista e suas empresas entre 2004 e 2006, além de manter programa de integridade e disponibilizar documentos para avaliação.

O FPSO

A unidade a ser construída pela SBM terá capacidade de processar até 180 mil barris de petróleo bruto e comprimir 12 milhões de metros cúbicos de gás por dia.

Estima-se que o FPSO Mero 2 esteja pronto para entrar em operação até o ano de 2022. O equipamento vai operar em lâmina d’água de cerca de 2.000 metros e terá características similares ao projeto Mero 1, com algumas otimizações implementadas.

A PPSA (Pré-Sal Petróleo) é a gestora do contrato de partilha da produção e a Petrobras lidera o Consórcio de Libra que opera o campo de Mero, com uma participação de 40%, junto com a Shell que detém 20%, a Total que tem 20%, a CNPC tem 10% e a CNOOC Limited os 10% restantes.

Novo impulso para 19 FPSO’s no mercado brasileiro ! Além de Mero 2 estima-se muitas FPSO’s nos próximo anos no Brasil ! Acesse aqui e saiba mais !

Sobre Renato Oliveira

Engenheiro de Produção com pós-graduação em Fabricação e montagem de tubulações com 30 anos de experiência em inspeção/fabricacão/montagem de tubulações/testes/Planejamento e PCP e comissionamento na construção naval/offshore (conversão de cascos FPSO's e módulos de topsides) nos maiores estaleiros nacionais e 2 anos em estaleiro japonês (Kawasaki) inspecionando e acompanhando técnicas de fabricação e montagem de estruturas/tubulações/outfittings(acabamento avançado) para casco de Drillships