Início Redução do IPI provoca queda nos preços dos carros 0 km, conforme levantamento da KBB

Redução do IPI provoca queda nos preços dos carros 0 km, conforme levantamento da KBB

4 de maio de 2022 às 08:24
Compartilhe
Siga-nos no Google News
carros, carros 0 km, IPI
Foto: Reprodução de Mike / Fonte: site Pexels




Em março, foi observada diminuição média de 0,55% nos valores dos carros 0 km, o que é explicado pela redução do IPI

Os valores dos carros 0 km sofrem redução desde março, graças à antecipação de que haveria queda do imposto sobre produtos industrializados (IPI) para veículos neste mês de maio. A KBB Brasil, companhia especializada em preços de veículos novos e usados, indica que a diminuição média nos valores dos carros 0 km em março foi de 0,55%.

De acordo com matéria publicada pela Exame em 02/05, o imposto sobre produtos industrializados (IPI) consiste em um tributo federal incidente sobre produtos nacionais e importados, sendo sempre aplicado quando uma mercadoria sai de fábrica. A redução anunciada pelo governo no IPI de carros 0 km corresponde a 18,5%.

Artigos recomendados

Os carros 0 km de modelo 2023 sofreram queda de 1,78% em seus preços no mês de março, ao mesmo tempo em que os carros de modelo 2022 observaram desvalorização de 0,65%. Essa conjuntura é bastante diferente da que foi constatada durante todo o ano de 2021, em que houve aumento médio mensal de 1,67% nos valores dos modelos 2022 e de 1,09% nos modelos 2021.

Veículos usados e seminovos seguem registrando aumento em seus preços

Por outro lado, se levados em conta os carros seminovos e usados, o levantamento realizado pela KBB demonstra que, em comparação ao mês de fevereiro, houve diminuição na inflação dos preços dessas categorias, porém a tendência de alta ainda foi mantida.

Os carros usados (de quatro a dez anos) observaram aumento de 1,93% em média no mês de março, enquanto os veículos seminovos, com até três anos de uso, registraram uma variação de 1,11%.

Os carros seminovos, com até três anos de uso, de ano modelo 2022, foram os que passaram por uma maior alteração no mês de março: 1,32%, em média. Apesar disso, a variação observada por esses automóveis ainda é inferior àquela apresentada em 2021, ano em que o aumento foi de 1,67% ao mês.

Os carros usados (entre quatro e dez anos de uso), por sua vez, sofreram alta de 1,93% em março, enquanto que, no ano de 2021, a média de variação apresentada foi de 2,04%. Quanto aos veículos desta categoria, os carros de modelo 2012, assim como nos meses de janeiro e fevereiro, foram aqueles que mais se valorizaram, com alteração observada de 2,87%.

Para realizar esse levantamento, o indicador de março da KBB Brasil fez a análise de 26.376 versões disponíveis no mercado. Para mais informações relativas aos preços, o site kbb.com.br pode ser acessado gratuitamente.

Além do IPI de carros 0 km, impostos sobre o etanol, alimentos, bens de capital e informática também sofreram redução recente

O Governo Federal reduziu a zero a taxa de importação de seis alimentos da cesta básica e do etanol, que promete reduzir em até R$ 0,20 o preço da gasolina. A medida foi aprovada em reunião extraordinária do Comitê-Executivo de Gestão (Gecex) da Câmara de Comércio Exterior (Camex), órgão vinculado ao Ministério da Economia, e busca reduzir os impactos da inflação.

Na lista de alimentos com impostos de importação zerados pelo Governo, estão café torrado, margarina, queijo, macarrão, açúcar e óleo de soja. Segundo o Ministério da Economia, esses produtos tiveram alta nos preços acima da média da inflação do país. Até então, o IPI era de 28% para o queijo, 14,4% para o açúcar, 14,4% para o macarrão, 10,8% para a margarina, 9% para o café, 9% para o óleo de soja e 18% para o etanol.

“Nós também estamos muito preocupados com o impacto da inflação sobre a população mais pobre, sobre a população em geral. Nós sabemos o quanto isso pode corroer o poder de compras de todos”, ressaltou o secretário-executivo do Ministério da Economia, Marcelo Guaranys.

Na mesma reunião, a Camex aprovou a redução de mais 10% do Imposto de Importação sobre bens de capital, que são máquinas e equipamentos usados na indústria, e sobre bens de informática e de telecomunicações, como computadores, tablets e celulares.

Este foi o segundo corte na tarifa de importação de bens de capital e de telecomunicações. Em março do ano passado, o Governo Federal tinha reduzido essa taxa também em 10%. Com isso, o corte no imposto chega a 20%.

Essa redução de carga tributária, bem como outras, é uma das medidas estruturantes que vêm sendo adotadas pelo Ministério da Economia para aumento da competitividade do país, com estímulo à geração de emprego e renda.

Com a decisão, um produto que tinha alíquota do IPI de 14% antes da redução realizada em 2021, passará a ter agora, com a segunda redução, alíquota de 11,2%.

Segundo o Ministério da Economia, a medida busca aumentar a produtividade e a competitividade da economia brasileira, mediante a redução dos custos envolvidos na importação de produtos estratégicos. A estimativa do Governo Federal é que as reduções no IPI farão com que a União deixe de arrecadar R$ 1 bilhão neste ano. Por se tratar de tributo extrafiscal, de natureza regulatória, é dispensada a apresentação de medidas de compensação, como o autorizado pela Lei de Responsabilidade Fiscal.


Relacionados
Mais recentes