Home > Sem categoria

Privatização da Eletrobras encontra resistência do Senado

Paulo Nogueira
por
-
18-12-2019 17:20:44
em Sem categoria
Privatização Eletrobras Privatização da Eletrobras encontra resistência do Senado

A privatização da Eletrobras, atual responsável por cerca de um terço da capacidade de geração e metade da transmissão de energia no Brasil encontra resistência no Senado

O projeto de privatização da Eletrobras precisa de uma deliberação do presidente da câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que no momento aguarda os líderes do governo convencerem os senadores da importância do andamento do texto. O projeto de lei que definia o modelo de privatização da estatal foi assinado em novembro pelo presidente Bolsonaro, logo após a aprovação da reforma da Previdência pelo Senado.

Leia também

É possível que seja criada por Maia uma comissão especial, com o objetivo de debate a privatização da Eletrobras, nos moldes do que ocorreu na legislatura passada.

Ainda não há um relator, mesmo que informal para o projeto de privatização da estatal. O deputado Fernando Filho (DEM-PE), ex-ministro de Minas e Energia do governo Temer, é o mais cotado para assumir a função.

O deputado, disse aos aliados que não pretende embarcar na iniciativa por desconfiar estar fadada ao fracasso pelas dificuldades no Senado.

Planos do governo para a Eletrobras

O plano do governo Bolsonaro é realizar uma capitalização da Eletrobras. O governo ficaria de fora da operação ficando com menos de 50% do capital com direito a voto.

A intenção do governo é não ficar nem com uma “golden share”, ação que dá direito a veto a certas decisões, como venda de fatias da Eletrobras, por exemplo.

Maia acredita ter votos suficientes na Câmara para aprovar a privatização da Eletrobras, mesmo com resistências nas bancadas no Nordeste e Norte. Todavia, não deve submeter os deputados ao desgaste político de votar a proposta se não tiver certeza de que o texto terá apoio suficiente no Senado para pelo menos tramitar.

Tags:
Paulo Nogueira
Com formação técnica, atuei no mercado de óleo e gás offshore por alguns anos. Hoje, eu e minha equipe nos dedicamos a levar informações do setor de energia brasileiro e do mundo, sempre com fontes de credibilidade e atualizadas.